Casos registrados "Doença Catastrófica"
(Traduzidos do inglês com Altavista Babel Fish)

Filtrar por palavras-chave:



Obtendo documentos. Espere, por favor...

1/28. Reactividade arterial catastrófica durante a síndrome preliminar do antifosfolípido--um relatório do caso.

    A reactividade arterial que conduz ao thrombosis agudo no local de um ferimento da vara da agulha foi descrita nunca durante a síndrome do antifosfolípido. Os autores relatam um caso caracterizado por uma sucessão dos eventos thrombotic que ocorrem durante ou imediatamente depois das angiografias arteriais ou da cirurgia arterial, em que a reactividade arterial catastrófica pode fortemente ser suspeitada. Neste paciente particular, pode-se postular que dano às pilhas endothelial das embarcações feridas durante a manipulação pode ter precipitado ou ter agravado a susceptibilidade de preexistência ao thrombosis. ( info)

2/28. Manifestação catastrófica da síndrome do antifosfolípido.

    Nós descrevemos uma mulher nova que indique o " malignant" variação da síndrome do antifosfolípido (APS), igualmente conhecida como o " APS." catastrófico; A insuficiência renal, o retinopathy, os enfarte cerebrais, a necrose da medula, as úlceras da pele, e a perfuração nasal do septo eram o resultado de microangiopathy thrombotic difundido. Recuperou durante a anticoagulação da intensidade elevada. ( info)

3/28. Participação do oblongata inteiro da medula espinal e da medula no myelitis transversal do catastrófico-início agudo em SLE.

    Um macho caucasiano dos anos de idade 30 com o myelitis transversal sofrido erythematosus do catastrófico-início agudo do lúpus sistemático. Dois anos de meningite asséptica mais adiantada, uma outra manifestação rara do lúpus do CNS, tinham sido diagnosticados. MRI mostrou a participação do oblongata da medula e da medula espinal inteira. A terapia com o methylprednisolone intravenoso da elevado-dose e cyclophosphamide intravenoso é discutida. ( info)

4/28. Síndrome catastrófica do antifosfolípido associada com o glomerulonephritis crescente: um caso clinicopathologic.

    A associação da falha renal com síndrome catastrófica do antifosfolípido foi relatada no contexto de oclusões microvascular e/ou da hipertensão maligno. Nós descrevemos uma mulher dos anos de idade 36 que morra da falha multiorgan com as características do laboratório, as clínicas e as histopatológicas da síndrome catastrófica do antifosfolípido associada com um glomerulonephritis crescente e uma falha renal. ( info)

5/28. Quando o doador de cuidado precisar o cuidado.

    Os estudos de caso são usados para ilustrar a deficiência orgânica da família que pode ocorrer quando a esposa e/ou a mãe que sups o papel do doador da atenção primária são diagnosticadas e tratadas para o cancro. Estas mulheres foram tratadas pelo psiquiatra da ligação e os assistentes sociais em um grande cancro centram-se. Os casos são discutidos de uma estrutura da teoria de sistemas da família. As implicações do tratamento para assistentes sociais nos cuidados médicos são apresentadas igualmente. ( info)

6/28. Uma apresentação incomun da dissecção de ascensão do arco aórtico.

    O seguinte relatório do caso é aquele de um homem novo que desmorone em um campo de golfe durante um advisory do calor. A apresentação prehospital sugeriu que o paciente sofresse da exaustão de calor. No departamento da emergência, o patient' a condição de s continuou a deteriorar-se apesar dos esforços agressivos do rehydration e refrigerar. A avaliação e o tratamento agressivos do paciente conduziram ao diagnóstico de uma dissecção painless aguda da aorta de ascensão. ( info)

7/28. Síndrome catastrófica do anticorpo do antifosfolípido em erythematosus de lúpus sistemático: um relatório do caso da autópsia de uma mulher nova.

    A síndrome catastrófica do antifosfolípido (TAMPÕES) é uma variação severa da síndrome do antifosfolípido (APS) caracterizada pelo esse microangiopathy disseminado resultados na falha multiorgan. Os TAMPÕES ocorrem principalmente em colaboração com erythematosus de lúpus sistemático (SLE). Clìnica, TAMPA o vasculitis disseminado imitadores de SLE, a coagulação intravenosa (DIC), e particular o purpura thrombocytopenic thrombotic (TTP). Nós descrevemos um exemplo da autópsia da mulher nova com os TAMPÕES em SLE, que é difícil de se diferenciar de TTP secundário a SLE. ( info)

8/28. Síndrome catastrófica do antifosfolípido: remissão depois da amputação do pé em 2 casos.

    OBJETIVO: A síndrome do antifosfolípido é caracterizada pelos eventos thrombotic venosos e arteriais que são frequentemente periódicos, pelo thrombocytopenia, pela perda fetal periódica, e por titers elevados de anticorpos do antifosfolípido. Um subtype dos pacientes com um retrato clínico particular opressivamente foi denominado síndrome catastrófica do antifosfolípido (TAMPÕES). Neste relatório, nós apresentamos 2 pacientes que exibiram uma desordem similar do sistema múltiplo associada com as mudanças gangrenous nas extremidades mais baixas. MÉTODOS: Dois pacientes com TAMPÕES são apresentados, destacando o impacto desta desordem nos pacientes e a resposta às várias modalidades terapêuticas. RESULTADOS: Ambos os pacientes tiveram os resultados pulmonars, cardíacos, cutaneous, e neurológicos consistentes com os TAMPÕES. Além, tiveram grandes úlceras purulent do pé associadas com os reticularis do livedo. A amputação dos pés em cada caso induziu a remissão da doença sistemática. CONCLUSÕES: Nós acreditamos que a infecção joga um papel significativo na patogénese e na amplificação da síndrome do antifosfolípido. Em determinados pacientes, esta associação é negociada provavelmente através dos mecanismos imunes, que igualmente realçam a génese do atherosclerosis. Depois que os focos da infecção (úlceras suppurative do pé) foram removidos, a doença subjacente melhorou. Estes estudos de caso fornecem uma oportunidade de estudar a interdependência entre diversos fatores da confusão que convirgem e conduzem ao desenvolvimento desta condição auto-imune. ( info)

9/28. necrose da medula e síndrome refratária de HELLP em um paciente com síndrome catastrófica do anticorpo do antifosfolípido.

    Nós descrevemos uma mulher dos anos de idade 22 que desenvolva a necrose extensiva e fatal da medula junto com a participação do fígado, do pulmão, e do sistema nervoso central durante a gravidez no fundo de titers muito elevados de anticorpos do antifosfolípido e da glicoproteína anti-beta2. Este caso ilustra uma complicação raramente reconhecida, potencial fatal do aPL no ajuste da gravidez. ( info)

10/28. Tratamento da síndrome catastrófica do antifosfolípido com defibrotide, um modulador endothelial vascular propor da pilha.

    OBJETIVO: Para definir a nível molecular as características endothelial vasculares de ferimento da pilha (VEC) da síndrome catastrófica do antifosfolípido (TAMPÕES) e relatar o uso terapêutico bem sucedido de um modulador de VEC, defibrotide. MÉTODOS: Nós descrevemos um homem dos anos de idade 55 com APS preliminares com um estado prothrombotic intratável (TAMPÕES) resistente à terapia combinada com heparina, warfarin, aspirin, e dipyridamole. O tratamento com defibrotide foi conduzido no contexto de um protocolo de investigação da fase II onde a dose foi regulada e particularizada pela doença/marcadores moleculars e clínicos paciente-específicos. RESULTADOS: O paciente incorporou a remissão completa com tratamento do defibrotide. Durante o tratamento, as ações farmacológicas dependente da dose de marcadores do esforço do defibrotide e da chave para ferimento de VEC foram identificadas. Evidência de defibrotide' o polypharmacology de s incluiu o downregulation dos cytokines, notàvel fator-alfa da necrose do tumor, como o efeito o mais adiantado, a diferenciação celular de VEC, possivelmente com efeito regulador direto sobre genes celulares, e a reversão do consumo da plaqueta e do estado prothrombotic. Os níveis do antígeno de Von Willebrand foram usados como o único marcador para guiar a terapia. CONCLUSÃO: Este caso demonstra a remissão eficaz dos TAMPÕES com tratamento do defibrotide. Em contraste com teorias que TAMPA é provocado por dano de tecido isquêmico e thrombotic, estes dados apresentam ferimento de VEC como a lesão preliminar e representativa dos TAMPÕES. A patogénese pode envolver o prejuízo simultâneo de funções diferentes de VEC. Conseguir a remissão pode exigir uma aproximação polypharmacologic, representada aqui por meio do defibrotide. ( info)
(Traduzidos do inglês com Altavista Babel Fish)| Próximo ->


Deixa uma mensagem sobre 'Doença Catastrófica'


Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui para ler o termo de responsabilidade.