Casos registrados "neoplasias esofágicas"
(Traduzidos do inglês com Altavista Babel Fish)

Filtrar por palavras-chave:



Obtendo documentos. Espere, por favor...

1/1925. Hodgkin' doença de s do esófago: relatório de um caso.

    A maioria de malignidades esofágicas são carcinomas squamous ou adenocarcinomas que levantam-se no fundo de Barrett' esófago de s. Nós descrevemos um exemplo de uma mulher de 85 yr-old em quem o diagnóstico da malignidade esofágica era difícil de confirmar apesar de suas aparência endoscópica e biópsias precedentes. Este caso ilustra a dificuldade em diagnosticar Hodgkin' doença de s do esófago. Apesar da raridade desta entidade, se indicado clìnica por sintomas, as grandes, biópsias profundas pela esofagoscopia rígida devem ser consideradas. ( info)

2/1925. Polyp fibrovascular gigante do esófago: CT e SR. resultados.

    Nós apresentamos uma caixa do polyp fibrovascular gigante do esófago com índices gordos predominantes. Os resultados da imagem latente do tomography computado (CT) e de ressonância magnética (MRI) deste tumor raro são relatados. O emprego do CT e do MRI na avaliação presurgical do polyp esofágico fibrovascular é sugerido. ( info)

3/1925. Carcinoma esofágica metastática à órbita.

    FINALIDADE: Para relatar um exemplo do adenocarcinoma esofágico e das áreas da diferenciação gastric no esófago (esófago de Barrett) metastático à órbita. MÉTODOS: Um homem dos anos de idade 47 com uma história carcinoma esofágica do turgescence desenvolvido em torno de seu olho esquerdo. Submeteu-se a uma biópsia e a uma examinação histologic de uma massa orbital esquerda. RESULTADOS: A histopatologia do tumor orbital era consistente com o adenocarcinoma metastático do esófago. CONCLUSÕES: Este adenocarcinoma metastático à órbita levantou-se provavelmente no esófago de Barrett. ( info)

4/1925. Avanços na endoscopia gastrintestinal.

    A endoscopia tem um papel ràpida de expansão no diagnóstico e na gerência da doença gastrintestinal. ( info)

5/1925. Leiomyosarcoma esofágico Pedunculated: um relatório do caso.

    Nós relatamos um exemplo do leiomyosarcoma esofágico que se levante possivelmente das mucosas dos muscularis, mostrando desse modo uma aparência particular incomun. Uma grande lesão intraluminal polypoid no esófago longe do ponto de origem foi encontrada em uma examinação endoscópica de um homem dos anos de idade 68 com uma história de 3 meses da disfagia. Embora a examinação histológica de espécimes da biópsia revelasse claramente o leiomyosarcoma, a ausência de um componente exophytic na varredura do tomography computado (CT) fêz com que nós suspeitassem que o tumor era carcinosarcoma. O tumor resected por um subtotal esophagectomy. A avaliação microscópica não revelou nenhuma participação na camada do propria dos muscularis e de nenhum componente da carcinoma. As características clínicas do leiomyosarcoma esofágico pedunculated mostrado neste caso e de três casos adicionais relatados previamente na literatura são revistas. ( info)

6/1925. sarcoma Synovial do esófago que simula o achalasia.

    O sarcoma Synovial é uma malignidade rara que ocorre principalmente nas extremidades. Somente sete casos foram aparecimento descrito no esófago. Todo apresentaram como uma massa polypoid que envolve o terço superior do esófago. Um exemplo de infiltrar o sarcoma esofágico synovial que simula o achalasia em uma mulher dos anos de idade 63 é relatado. De acordo com a literatura, a posição e o teste padrão clínico deste tumor são excepcionais. As características clínicas, os resultados patológicos, o diagnóstico diferencial, e a gerência desta circunstância são discutidos. ( info)

7/1925. a mutação genética p53 em 150 dissecou nós de linfa em um paciente com cancro esofágico.

    Para o cancro esofágico torácico, nós executamos dissecção prolongada do nó de linfa de três campos, e conseguimos quase 50% do macacão uma sobrevivência de 5 anos. Entretanto, os pacientes desenvolvem às vezes retornos do nó de linfa apesar de não ter nenhuma metástase de nó de linfa encontrada pela examinação histopatológica convencional. Em um paciente com carcinoma de pilha squamous esofágica, nós arranjamos em seqüência todas as regiões p53 traduzidas cDNA (exon 2-10) de carcinoma preliminar, e confirmamos uma mutação de absurdo p53 no exon 10. Então nós extraímos o ADN genomic de 150 nós de linfa cirùrgica dissecados desse paciente, e a análise executada da reacção em cadeia do polymerase (PCR-RFLP) para detectar a mesma mutação p53 nos nós de linfa. A análise de PCR-RFLP mostrou a mesma mutação p53 em seis nós de linfa. Um nó foi ficado situado ao longo do nervo laríngeo periódico direito, onde nenhum nó positivo foi identificado pela examinação histopatológica convencional. O diagnóstico p53 mutational do cancro metastático pode ser útil em detectar a doença residual mínima. ( info)

8/1925. Papillomatosis da pilha de Squamous do esófago depois da colocação de um metal deexpansão stent.

    O metal deexpansão esofágico stent ganhou aceitação difundida para a gerência de fístula tracheoesophageal e a gerência paliativa de críticas esofágicas malignos. As complicações associadas com seu uso podem ser classific como imediato ou seas. As complicações atrasadas as mais freqüentes incluem o ingrowth do tumor, a migração stent, o reflux de índices gastric, o sangramento, e a perfuração. Este relatório do caso ilustra uma complicação atrasada de outra maneira não reconhecida de um metal deexpansão stent. Perto do ingrowth completo do stent pela hiperplasia mucosal squamous ocorreu dentro de seis semanas do metal stent' colocação de s. Isto que encontra suporta a hipótese que ferimento e a regeneração mucosal são a base da etiologia da formação squamous esofágica do papiloma da pilha. ( info)

9/1925. A B ou não a B: é o tylosis B verdadeiramente benigno? Duas árvore genealógicas norte-americanas.

    Tylosis é uma síndrome dominante rara, autosomal que apresentam com a hiperceratose das palmas e solas dos pés. Dois tipos foram identificados. Tylosis atrasado do início (o tipo A) é relatado para ser associado com uma incidência elevada da carcinoma esofágica, visto que tylosis adiantado do início (o tipo B) parece ser uma desordem benigna. Esta distinção tem implicações significativas para a fiscalização e o prognóstico. Nós relatamos duas famílias que exibem o tipo adiantado tylosis do início de B, medindo cinco e sete gerações, respectivamente, e acreditamos estes para ser as primeiras duas árvore genealógicas extensivas do tipo B do tylosis relatado em America do Norte. Serem para verific as características do tipo tylosis de B e seu prognóstico benigno. A literatura do mundo é revista e a relevância clínica é discutida. As recomendações para a continuação de indivíduos afligidos são propor. ( info)

10/1925. Um exemplo de cancro esofágico avançado que mostra uma resposta completa a longo prazo com quimioterapia com o nedaplatin sozinho.

    Nós descrevemos um exemplo de cancro esofágico avançado tratado com sucesso pela quimioterapia com o nedaplatin sozinho. Um macho dos anos de idade 60 com tipo - 2 avançaram o cancro esofágico, que foi ficado situado na parte superior do esófago e tinha invadido órgãos adjacentes, foram tratados com o nedaplatin 150 mg/body (100 mg/m2) dados intravenosa cada 4 semanas janeiro de 6, 1991. Conseguiu uma resposta parcial (fotorreceptor) e foi descarregado em março 1991. Subseqüentemente, recebeu o nedaplatin 75 mg/body em um ajuste do paciente não hospitalizado quase cada mês até agosto 1992. As toxicidades eram thrombocytopenia e náusea/vomiting suaves toleráveis e incluídos. Da avaliação de série em outubro 1993, o tumor esofágico não foi observado. Após 7 anos desde que a quimioterapia inicial foi administrada, ainda sobrevive sem a doença. ( info)
(Traduzidos do inglês com Altavista Babel Fish)| Próximo ->


Deixa uma mensagem sobre 'neoplasias esofágicas'


Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui para ler o termo de responsabilidade.