FAQ - Esporotricose
(Powered by Yahoo! Answers)

Esporotricose?


Esporotricose em felinos
Tenho um gato de 9 anos, castrado, 9 quilos, muito robusto e forte.
Não me permite o uso de medicação tópica e muito menos oral, pois arranha e morde.
Estou ciente dos problemas, tenho acompanhamento de veterinário.
Pensei que se alguem terá usado esse método e se seria eficiente(Claro, com anestesia)poderia curar as feridas com uma aplicação apenas.
Se estou estupidamente errada, peço perdão. É apenas uma idéia.
----------

Leve ao veterinário.

@  (+ info)

Gostaria de saber quantos casos de esporotricose tiveram no estado RJ entre 2004 e 2006 e entre 2006 e 2008.?


Pesquise no SITE da Secretaria de Saude do-RJ

@  (+ info)

Esporotricose - Passou o tempo e não pude escolher a melhor resposta, perdão amigos.?


Agradeço muito o carinho de todos.
Informo com muita alegria, que depois de todos os esforços da veterinária e de todos que me ajudaram, meu gato "Zé Batata", já apresenta melhora visível.
----------

Sporothrix schenckii é um fungo dimórfico que vive no solo em associação com restos vegetais, em regiões de climas temperado e tropical úmidos. Esporotricose é a doença em geral resultante da inoculação direta de conídios do S. schenckii na derma. Após a inoculação, este agente pode causar infecção cutânea ou subcutânea que geralmente é localizada, podendo associar-se a comprometimento linfático regional. Formas disseminadas da doença são menos comuns e podem estar associadas a algum grau de imunodeficiência20 22. Na literatura encontramos alguns relatos de esporotricose em pacientes infectados pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV), mas poucos casos foram relatados desta doença como manifestação inicial da síndrome da imunodeficiência adquirida (SIDA)2 6 18 24.  (+ info)

esporotricose em humanos?


Olá. Peguei Esporotricose, quando cortei meu dedo com um espinho de uma rosa infectada, enquanto a podava. Já li bastante sobre a doença (http://br.answers.yahoo.com/question/index;_ylt=AnUxiI__auvoiimYNMqjbkXx6gt.;_ylv=3?qid=20061124074348AAdkSWI), e fiquei um pouco assustado com o diagnóstico, pois está na fase do nódulo duro e indolor, e o que vem depois é o influxo pro resto do corpo.

Será que alguém saberia o que fazer?
Agradeço!
(o link não existe mais, tem aqui http://www.unirio.br/ccbs/revista/cadbra2001/doen%E7a%20infecciosa.htm)
----------

Sim, esporotricose é assim mesmo que se pega. Olha, fique tranquilo que o tratamento é bem eficiente, nesses casos! A cura costuma ocorrer de forma rápida também. Realmente os melhores tratamentos para isso são medicações orais como o itraconazol e o iodeto de potássio, porém vc deve procurar o médico especialista para acompanhar vc... e o médico mais indicado é o dermatologista. Procure no site da Sociedade Brasileira de Dermatologia, um médico filiado que atenda na sua cidade e boa sorte!!! (http://www.sbd.org.br)   (+ info)

caso clinico esporotricose?


Oi,

ESPOROTRICOSE EQÜINA (EQUINE SPOROTRICHOSIS)

RESUMO
A esporotricose é uma infecção fúngica subcutânea causada pelo Sporothrix schenckii, freqüentemente relacionada a uma injúria inicial contaminada por solo ou vegetação contendo o fungo. Nos eqüinos as lesões usualmente estão situadas nos membros e região peitoral. É relatado um caso de esporotricose em uma fêmeada raça crioula com 10 anos de idade, que apresentou no primeiro exame clínico discretas lesões secas e alopécicas restritas à cabeça, principalmente na região próxima às narinas, e apenas um nódulo subcutâneo na face esquerda. Após 25 dias de evolução da enfermidade, o animal já apresentava múltiplos nódulos subcutâneos disseminados pela cabeça, pescoço e membros torácicos. O diagnóstico foi confirmado pelo isolamento do agente. O tratamento com Iodeto de Potássio foi adotado em função da eficácia e baixocusto do mesmo. A terapia inicial consistiu na administração oral de solução de iodeto de potássio a 20%, na dosagem diária de 1mg/kg na primeira semana. A partir da segunda semana, a posologia foi de 0,5mg/Kg, prescrita para ser aplicada até 1 mês após a regressão completa das lesões. Já na primeira semana, o animal apresentava sensível melhora clínica, avaliada pela resolução da maioria das lesões ulceradas e, na terceira semana de terapia, já havia crescimento de pêlos nas regiões anteriormente alopécicas. Descritores: Sporothrix schenckii, esporotricose, eqüinos, iodeto de potássio, tratamento.

INTRODUÇÃO
A esporotricose é uma infecção crônica e granulomatosa, usualmente subcutânea, causada pelo fungo Sporothrix schenckii e acomete tanto humanos quanto animais
O S. schenckii é um fungo dimórfico habitante da superfície de plantas e solos, e cuja infecção em animais está freqüentemente relacionada a lesões ou injúria inicial contaminada por solo ou material de plantas.
Em condições ambientais, o fungo se desenvolve na forma filamentosa, onde são observadas hifas finas septadas e delicados conidióforos em forma de pétalas de flor. Quando infecta o organismo animal o fungo passa para a fase leveduriforme, com células de formato ovalados emelhante a um charuto.O objetivo deste trabalho é relatar um caso de esporotricose eqüina ocorrido no sul do Brasil, no qual o animal apresentava lesões iniciais na cabeça, com posterior disseminação subcutânea para o pescoço e membros torácicos.

RELATO DE CASO
Um raspado cutâneo, proveniente de um eqüino com lesões de pele possivelmente de etiologia fúngica, foi examinado e cultivado no Laboratório dePesquisas Micológicas (LAPEMI), da UniversidadeFederal de Santa Maria. O animal, uma fêmea da raça crioula com 10 anos de idade, apresentava ao primeiro exame clínico discretas lesões secas e alopécicasrestritas a cabeça, principalmente na região próxima às narinas, e um nódulo subcutâneo na face esquerda. De acordo com o proprietário o animal apresentava lesões desde o momento de sua aquisição, há cerca de 1 ano, relatando que as lesões tornavam-se mais evidentes em períodos quentes, especialmente após exercícios, e regrediam durante épocas com temperaturas mais baixas. Pêlos e crostas do raspado foram semeados em um tubo de ensaio contendo Agar seletivo parafungos patogênicos, e incubou-se à 28ºC, com observações diárias. Decorridos 4 dias observou-se crescimento fúngico com aparência cremosa, o qual à microscopia revelou presença de hifas finas, septadas e conidióforos em forma de flor, compatível com Sporothrix schenckii. Transferiu-se então parte do cultivo para meio de Agar Infusão de Cérebro eCoração (BHI) que foi incubado à 37º C para se verificar a capacidade dimórfica do agente. Transcorridos 25 dias do primeiro exame clínico, e uma vez confirmado o diagnóstico laboratorial, o animal foi novamente avaliado para se observar a evolução das lesões, bem como para se instituir umtratamento para o mesmo.Ao segundo exame clínico foram observadas extensas áreas alopécicas abrangendo ambas as faces e, o nódulo anteriormente verificado, havia ulcerado e apresentava-se coberto por finas crostas. Novas lesões nodulares no tecido subcutâneo, algumas eliminando secreção purulenta e outras apresentando crostas, também foram verificadas nas faces, laterais do pescoço e membros anteriore. Iniciou-se tratamento com administração oralde Solução de Iodeto de Potássio a 20%, na dosagem diária de 1mg/kg de peso corporal na primeira semana, seguindo-se com 0,5mg/Kg. Por precaução, recomendou-se o uso desta posologia por até 1 mês após a regressão completa das lesões.Com uma semana de tratamento o animal apresentou melhora significativa, com resolução da maioria das lesões ulceradas, e transcorridas outras três semanasobservou-se que já havia crescimento depêlosnas regiões anteriormente alopécicas e presença apenas de raros nódulos subcutâneos

DISCUSSÃO
Em eqüinos a esporotricose possui caráter crônico, apresentando-se como nódulos subcutâneos geralmente localizados nos membros ou pescoço doanimal, que quando ulcerados eliminam exudato purulento contendo células leveduriformes. As lesões inicialmente apresentadas pelo animal em estudo eram atípicas, alopécicas, restringindo-se a cabeça e com presença de apenas um nódulo subcutâneo palpável, entretanto com a evolução da enfermidade pôde-se verificar a apresentação dos sinais clínicos típicos da mesma, com inúmeros nódulos subcutâneos disseminados pelo pescoço e membros torácicos. Neste caso não houve comprometimento linfático, quadro clínico freqüente em esporotricose, havendo apenas o desenvolvimento de múltiplos nódulos subcutâneos, alguns dos quais ulceravam e eram drenados. A esporotricose descrita em eqüinos pode se apresentar em duas formas principais: como uma linfangite proliferativa, desenvolvendo nódulos ao longo dos vasos linfáticos que posteriormente ulceram, ou como uma forma subcutânea onde múltiplos nódulos se desenvolvem no sistema intertegumentário, sem envolvimento do sistema linfático, os quais eventualmente ulceram e são drenados. Com relação ao comportamento das lesões frente a variações climáticas e condições de exercício, não se encontrou qualquer referência na literatura, entretanto sabe-se que a temperatura apresenta forte influência sobre o desenvolvimento do S. schenckii, fato este observado pela distribuição dos casos de esporotricose onde se verifica que apesar de sua ocorrência mundial são mais freqüentes em regiões tropicais e subtropicais. A aplicação de iodetos é o tratamento de eleição para casos de esporotricose em eqüinos, tanto pelos resultados favoráveis quanto pelo baixocusto que o mesmo apresenta. Apesar desta terapia vir sendo utilizada há muitos anos, seu modo de ação ainda não foi completamente elucidado. Os resultados de pesquisas indicam que dificilmente o iodeto de potássio atue diretamente sobre o Sporothrixschenckii, acreditando-se que seu modo de ação seja através da modulação da reação inflamatória e resposta imune do animal.

Um abraço  (+ info)

gostaria de sabe se tem alguma pomada que tira mancha da lesões que tive na minha perna?


tive esporotricose , lesões na perna ja fechou mas eu fiquei com uma mancha como faço para eu tira ela . beijo se pode me ajuda lher agradeço .
----------

Só aplicação a LASER

@  (+ info)


Deixa uma mensagem sobre 'Esporotricose'


Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui para ler o termo de responsabilidade.