FAQ - Masoquismo
(Powered by Yahoo! Answers)

Qual é a diferença entre masoquismo e sadismo?


O termo sadismo deriva do nome do escritor e filósofo francês Donatien Alphonse François de Sade (Marquês de Sade), e denota a excitação e prazer provocados pelo sofrimento alheio.Masoquismo é uma tendência pela qual uma pessoa busca prazer ao sentir dor ou imaginar que a sente. beijos.  (+ info)

so os meninos de 18 a 40 solteiros e lindos masoquismo ser dominado na hora h ja por isso sim ou nao?


se ao como voce queria que fosse?
todos os mennos nessa faxa etara pode responder ser lindo ou ao so curiosidade mesmo agradecida.
----------

poxa tenho 26, sou solteiro mas não me considero lindo acho q quem tem q achar são as meninas.
Desculpe não posso te responder!  (+ info)

loucura, burrice, masoquismo, falta de amor próprio, teimosia ou tudo junto?


tenho um amigo que se apaixonou perdida e platonicamente por uma menina, ao ponto de acabar um relacionamento de longa data, para tentar algo com a mesma. ocorre que a menina em questao descobriu, deu-lhe um fora, contou que tinha namorado e ele, mesmo assim, insistiu por mais duas vezes, ate receber uma resposta mais clara impossivel da pessoa: "nao fale mais comigo, nao quero saber de vc". pois bem, ainda assim, ha algumas semanas tem passado os dias choroso, sem querer admitir o fim do jogo e na esperanca de poder reverte-lo. nao quer saber de conversar com psicologo. o que fazer p ajudar esse amigo? ah, inteligente como poucas pessoas q conheco, mas tem um pessimo temperamento, altamente introspectivo, apesar de ser boa pinta e alem de ter varios outros predicados, q pelo visto nao consegue enxergar em si mesmo... o q fazer p ajudar? obg
----------

Amigo, se ele é uma pessoa que se auto-observa, nervoso, ele sabe que ela não o quer. Ele ama muito esta pessoa, o erro dele neste caso é AMÁ-LA MAIS DO QUE A SI PRÓPRIO !
A auto estima dele deve estar no fundo do posso.
Chame ele para sair, e se ele não quiser, tente fazer algo que ele gosta em casa,jogos no pc, etc ... fazendo isso vc vai estar perto e ele não ficará só, e já será uma ajuda e tanto.
Se esta depressão passar, 10 ! Se não passar procure um médico.

Você é um ótimo amigo, parabéns!  (+ info)

Eu queria saber se isso é sado masoquismo.Alguem me explica?


Eu sai com um cara e tivemos um relacionamento sexual normal.Quando ele se preparou para transar pela segunda vez ele me pediu para dar tapas no bumbum dele com força.Eu não tive dúvidas e senti que ele gozou muito mais rápido enquanto eu bati com força.Isso é fetiche,doença ou sado masoquismo? Esse cara é normal?
----------

Eu acho que só por essa questão não deve enquadra-lo ao sado masoquismo!

Eu adoro tomar uns tapas na cara e não me considero uma!

Ele é normal sim, largue de bobeira!

È apenas uma fantasia!  (+ info)

Dúvida sobre masoquismo!!!!?


Depois de ler isso eu fiquei um tanto preocupado:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Masoquismo

Lembrem-se, não gosto de sentir dor física nem imaginar que a sinto. Mas eu fico sexualmente "excitado" quando imagino alguém sendo humilhado. Mas humilhações fracas. E APENAS na minha imaginação. Na vida real, eu já sou normal: não gosto de humilhar, ser humilhado eu presenciar humilhação. É SÓ na minha cabeça.

Isso é masoquismo? Pode gerar problemas futuros? Pode se tornar real? Eu posso começar a sentir prazer na dor física?

Valeu, galera :D
----------

Meu caro. Enquanto esses seus pensamento ficarem no campo da fantasia sexual, nada a temer, e super normal. Tornaria a ser patológico a partir do momento em que vc não conseguisse sentir prazer a não ser através do sofrimento alheio. abç  (+ info)

Será que isso é masoquismo?


eu gosto de me arranhar , só pra ver se fica cicatriz depois . . isso é coisa de masoquista ? :s
----------

Menina27, isto não é masoquismo. O masoquista sente prazer em sentir dor. Isto é auto mutilação; sente prazer em se machucar por outra razão , que ainda não é consciente para você. Leia sobre isto, por favor. Converse com seus pais sobre isto.
É auto-mutilação todo comportamento em que ferimentos são infligidos em si mesmo. Pode assumir muitas formas, incluindo excesso de
comprimidos ou drogas, queimaduras, saltos de grandes alturas, choque de veículos ou
cortes no corpo. É algo que chama a atenção. E geralmente espantoso quando os ferimentos possuem gravidade.
Se pensarmos na auto-mutilação como parte de um repertório auto-destrutivo, não é difícil de compreendê-la: é simplesmente agressividade auto-dirigida, transmutada em acto de punição fisíca. Contudo, se pensarmos na auto-mutilação como um acometimento necessário para se apaziguar um tormento psíquico, aí fica mais difícil de se compreender, porém não impossível.
O sujeito, em situação penosa de extrema angústia, se mutila. E, após a auto-mutilação, obtém um certo alívio da angústia que o afligia. Devemos considerar as diferenças entre as dores da alma e as dores do corpo. Parece haver sempre em nosso organismo a necessidade de uma justificativa concreta e material para nossos sofrimentos. Como se já não bastassem os sofrimentos concretos, tudo o que padece nosso corpo, ainda padecemos de abstrações, de conjecturas. Como se não bastasse o sofrimento presente, ainda nos angustiamos com o que está longe e ausente, seja passado, futuro, ou toda e qualquer forma de preocupação e ansiedade.
Freud, em "O mal-estar na civilização (1930)", salienta que o sofrimento pode nos abordar das mais diversas direcções. E que o sofrimento proveniente da relação com os outros é ainda sentido como mais penoso, pois é interpretado como um acréscimo, um suplemento gratuito a nossos dramas de existência. Das relações com o próximo padecem seres das mais variadas espécies. O maior problema do ser humano é sua relação com o que não é presente. E é isto, contudo, o que nos torna humanos.
A auto-mutilação, para quem padece dela, produz uma compensação física para o sofrimento impalpável e cego da alma.
Para a psiquiatra Vera Zimmermann, esse comportamento se aproxima da patologia: "Eles não encaram a pele como invólucro do corpo, como protecção. Na hora do exacerbamento da angústia, não há limites e eles só conseguem extravasar em si mesmos. A dor física expressa a dor emocional."
A psiquiatra explica que este comportamento é suicida, embora morrer não seja o objetivo final: "Essas pessoas têm a auto-estima extremamente baixa. O que elas fazem é um micro-suicídio. Elas acham que merecem o sofrimento, não a morte". Raramente o exibicionismo está ligado ao "cutting". Muitos pais só descobrem que os filhos se cortam anos depois. Eles fazem isso na intimidade do quarto ou no banheiro e escolhem partes do corpo que podem ser escondidas, como pernas e barriga. Nos braços e pulsos, eles usam a mangas compridas para esconder as cicatrizes.
A psiquiatra Vera Zimmerman diz que as inscrições no corpo são elementos de identificação em um grupo, chegando até a perder o limite entre a estética e o sofrimento. Um exemplo de como isto é levando até as últimas consequências por algumas pessoas é a "scarification", uma cicatriz parecida com tatuagem, mas feita com bisturi. Outra prática um tanto dolorosa é o "branding", que marca a pele com ferro quente, da mesma forma que é feito com gado. A média de preços é a mesma das tatuagens tradicionais e varia de acordo com o tamanho.
Segundo a Dra. Vera, quem recorre à auto-mutilação é porque não encontrou escapes saudáveis para a angústia: "Isso revela uma fragilidade na construção da personalidade e é um hábito muito difícil de abandonar. Se a pessoa consegue se aliviar das cobranças assim, ela vai repetir toda vez que se sentir pressionada".
"No tratamento, às vezes é necessária a prescrição de ansiolíticos, mas o principal é a terapia para descobrir a causa do problema", esclarece a terapeuta.
Não há dados estatísticos se quem sofre mais com a automutilação são os rapazes ou as raparigas, mas uma coisa é certa: as maiores vítimas são os adolescentes. A médica explica que as pessoas que têm crise de angústia na vida adulta a expressam de outra forma, como em compulsões alimentares ou até mesmo o suicídio.
Fontes:
http://guiadasemana.com.br/noticias.asp?/TEEN/SAO_PAULO/&a=1&ID=16&cd_news=29138&cd_city=1
http://ec.europa.eu/justice_home/funding/2004_2007/daphne/illustrative_cases/illustrative_cases_pt/22_self_pt.pdf
http://www.bmezine.com/scar/A40922/scrmorta.html - um testemunho em discurso directo
http://inquilinosdoalem.blogspot.com/2006/03/pequenas-digresses-psicopatolgicas.html
Leia isto, Menina27 , reflita e procure ajuda. Boa sorte.  (+ info)

Masoquismo - Parte 2?


Tive um relacionamento que só me causou dor. Cheguei a morar junto da pessoa 6 anos. Até apanhei. Mas ficava pensando: Tenho que continuar e meus filhos? A gente discutia por alguma bobagem e ele ficava mais de uma semana sem nem olhar no meu rosto, era como se eu não existisse em casa. E eu ainda continuava. O que leva uma pessoa a querer continuar. No fundo acho que não o amo. Sou de uma família tradicionalzinha, onde ninguém se separa (vivem aos trancos, mas juntos), penso muito nisso. Já me separei por 1 ano e meio, agora estava meio propsensa a voltar. Não sei responder isso: Porque ainda o quero? Mesmo sabendo que ele me faz mal, me humilha e me despreza. Isso é uma doença? Desvio de caráter? Falta de amor próprio? O que tenho que fazer para sair desse tormento?
----------

A sua mensagem me fez lembrar do meu proprio relacionamento. Veja se ele nao sofre de algo chamado, transtorno bipolar. Eh um tipo de manodepressao, que faz a pessoa ser arrogante e menosprezar os que estao em volta. Ele bebe? Toma antidepressivo? Se for o caso, precisa de terapia e vc fica na tua.... eh dificil dizer pra vc o que fazer. Tenho levado o meu relacionamento ha 2 anos e continuo nele da maneira que posso, porque , apesar de tudo, moro num pais distante e nao quero ficar sozinha.  (+ info)

Masoquismo só quer dizer com sexo?


Não.
O Masoquismo, pode também ser parte da personalidade de uma pessoa.
Toda pessoa que aceita sofrer passivamente, seja qual for o motivo, tem um masoquismo oculto.
Ela pode gostar de abaixar a cabeça ao ser repreendida ou mesmo de apanhar no sentido literal da palavra.
Outras sentem no sofrimento moral, uma forma de prazer muito intima.
Enfim, não é só no ato sexual que uma pessoa pode ser masoquista.
Um abraço!  (+ info)

Sobre Masoquismo. Alguém me tire uma dúvida?


Existem mesmo pessoas que gostam de sofrer? Gostam de ficarem se apiedando de si mesmas? sofrem muito e continuam buscando aquilo que as fez sofrer (como um amor que só a faz infeliz) me expliquem sobre isso por favor. Acho que sou doente.
----------

que eu saiba mazoquismo é prática sexual onde se tem prazer na dor, quanto ao prazer em sentir dor emocional, está mais ligado a falta de amor.  (+ info)

você é contra o masoquismo?porque?


Guria, tu falas como se masoquismo fosse algo para se ser contra ou a favor, como racismo, por exemplo. Não é questão de ser contra ou a favor, é questão de gostar de sofrer ou não. Eu não gosto. Na minha opinião, quem gosta é doente, pura e simplesmente.
Sem mais comentários.  (+ info)

1  2  

Deixa uma mensagem sobre 'Masoquismo'


Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui para ler o termo de responsabilidade.