FAQ - Proctite
(Powered by Yahoo! Answers)

O que é proctite aguda ?


Proctite aguda é uma inflamação do reto, pode ser devido a um efeito adverso de um antibiotico, ou por radioterapia no reto.
Pode ser devido a doenças como retocolite ulcerativa idiopatica, doença de crohn..
Pode ser causado ainda por infecções bacterianas, alergia a algum alimento, ou por mau funcionamento dos nervos retais...
Não podemos esquecer das DST, entre elas gonorreia e Campylobacter foetus  (+ info)

Soropositiva(hiv): Você sabe o que é HERPES GENITAL SIMPLES?


Herpes Simples Genital





Conceito
Infecção recorrente (vem, melhora e volta) causadas por um grupo de vírus que determinam lesões genitais vesiculares (em forma de pequenas bolhas) agrupadas que, em 4-5 dias, sofrem erosão (ferida) seguida de cicatrização espontânea do tecido afetado. As lesões com frequência são muito dolorosas e precedidas por eritema (vermelhidão) local. A primeira crise é, em geral, mais intensa e demorada que as subsequentes. O caráter recorrente da infecção é aleatório (não tem prazo certo) podendo ocorrer após semanas, meses ou até anos da crise anterior. As crises podem ser desencadeadas por fatores tais como stress emocional, exposição ao sol, febre, baixa da imunidade etc.
A pessoa pode estar contaminada pelo virus e não apresentar ou nunca ter apresentado sintomas e, mesmo assim, transmití-lo a(ao) parceira(o) numa relação sexual.

Sinônimos
Herpes Genital

Agente
Virus do Herpes Genital ou Herpes Simples Genital ou HSV-2. É um DNA vírus.
Observação: Outro tipo de Herpes Simples é o HSV-1, responsável pelo Herpes Labial. Tem ocorrido crescente infecção genital pelo HSV-1 e vice-versa, isto é, infecção labial pelo HSV-2, certamente em decorrência do aumento da prática do sexo oral ou oro-genital.

Complicações/Consequências
Abôrto espontâneo, natimorto, parto prematuro, baixo peso, endometrite pós-parto. Infecções peri e neonatais. Vulvite. Vaginite. Cervicite. Ulcerações genitais. Proctite. Complicações neurológicas etc.

Transmissão
Frequentemente pela relação sexual. Da mãe doente para o recém-nascido na hora do parto.

Período de Incubação
1 a 26 dias. Indeterminado se se levar em conta a existência de portadores em estado de latência (sem manifestações) que podem, a qualquer momento, manifestar a doença.

Diagnóstico
O diagnóstico é essencialmente clínico (anamnese e exame físico). A cultura e a biópsia são raramente utilizados.

Tratamento
Não existe ainda tratamento eficaz quanto a cura da doença. O tratamento tem por objetivo diminuir as manifestações da doença ou aumentar o intervalo entre as crises.

Prevenção
Não está provado que a camisinha diminua a transmissibilidade da doença. Higienização genital antes e após o relacionamento sexual é recomendável. Escolha do(a) parceiro(a).
www.dst.com.br Vejam fotos no site.
----------

Herpes Genital e Labial
O vírus do herpes é um antigo inimigo da humanidade, causando infecções como a herpes genital e a herpes labial. A primeira é considerada dentre as doenças sexualmente transmissíveis, a de mais rápido crescimento numérico.

Milhões de pessoas no Brasil têm herpes genital e infelizmente, a cada ano, dezenas de milhares de homens e mulheres, a maioria entre os 18 e 25 anos, podem contrair esta infecção. A primeira atitude a se tomar é sempre suspeitar. Em caso de uma simples desconfiança a consulta a um médico é fundamental.

O herpes genital é a uma doença altamente contagiosa que persiste por toda a vida, costumando reaparecer uma vez ou outra. A forma inicial de contágio é a relação sexual com pessoas que estejam com herpes genital em atividade.

Sintomas

Os sintomas do herpes genital são mais graves na primeira infecção e aparecem poucos dias depois do contato sexual. Inicialmente costumam ocorrer ardor, coceira e vermelhidão. Em certos casos surge a febre e aumento dos gânglios. No terceiro dias os sintomas se agravam formando vesículas que se transformam em úlceras muito dolorosas. De forma aguda a doença pode durar de 2 a 4 semanas.

O vírus se acomoda no organismo e as recorrências são comuns. Nunca na mesma intensidade, as recorrências podem surgir meses após a primeira infecção ou imediatamente após. Coceira e ardor são os sintomas. Ainda não se sabe exatamente o que faz com que o vírus volte a provocar lesões. Entre os fatores prováveis se destacam as tensões emocionais, fadiga, mudanças bruscas de temperatura.

Ataque aos bebês

Mulheres que apresentam episódios cíclicos de herpes genital devem tomar certos cuidados, caso engravidem, pois o bebê poderá contaminar-se durante o parto, trazendo conseqüências graves. Por isso é importante que o médico esteja ciente da presença do vírus. Ele submeterá a exames que determinarão a atividade ou não do vírus.

Para a cura do herpes genital os remédios caseiros são dispensáveis. Algumas doenças têm sintomas semelhantes e o tratamento é completamente diferente. A consulta ao médico é fundamental caso a pessoa suspeite de herpes genital. somente o médico pode ajudar seus pacientes, informando o modo de se cuidarem e também evitando que venham a infectar outras pessoas.

Herpes labial

Este tipo de herpes é causado pelo vírus do herpes simples. Embora grande parte da população seja portadora de vírus, nem todos apresentam o herpes labial. A ocorrência de herpes labial pode se repetir em um período de um ano.

A primeira ocorrência do herpes labial pode acontecer na infância, depois de o bebê ser beijado por pessoas portadoras da infecção, como o pai ou mãe. o vírus passa através da pele, percorre um nervo e esconde-se em uma junção nervosa até ser reativado.

Os fatores mais comuns de reativação do vírus são a gripe, indisposição gástrica, menstruação, fadiga, transtorno emocional, stress, luz solar intensa ou simplesmente quando a pessoa se sente quebrada. Acredita-se que, uma vez reativado, o vírus volte do nervo para a mucosa onde causará o herpes labial.

Estágios

O primeiro sintoma é uma coceira antes que a ferida surja. Inicia-se logo após um pequeno inchaço, formando vesículas dolorosas. Estas se rompem e juntam-se formando uma grande ferida. A ferida seca e sara. Começa a formação da casca e cicatrização.

O vírus do herpes labial pode originar outras infecções. Ao tocar o local infectado é aconselhável que se lave as mãos. Se isto não for feito corre-se o risco de contaminar partes do corpo como os olhos. Caso surja o herpes labial o médico deverá ser, imediatamente consultado. Alguns conselhos para o paciente com herpes labial sugerem as pessoas que evitam tocar os olhos, beijar ou furar as bolhas e arrancar a crosta da ferida.

Copyright © 2000 eHealth Latin America  (+ info)


Deixa uma mensagem sobre 'Proctite'


Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui para ler o termo de responsabilidade.