FAQ - Tricotilomania
(Powered by Yahoo! Answers)

alguem aqui tem tricotilomania??


Não,mas as vezes sinto vontade de arrancar os cabelos mesmo ao ver tantas coisas erradas.  (+ info)

me ajudem tenhu tricotilomania...como faço pra parar pra valer???


Creio que você precise de tratamento especializado, conduzido por um médico psiquiatra ou, eventualmente, um neurologista. Leia o texto abaixo, extraído do "Manual Merck de Saúde para a Família":


- Distúrbio Obsessivo-Compulsivo

O distúrbio obsessivo-compulsivo caracteriza-se pela presença de idéias, imagens ou impulsos recorrentes, indesejados e intrusos que parecem tolos, esquisitos, indecentes ou horríveis (obsessões) e de uma urgência ou uma compulsão para fazer algo que elimine o desconforto causado pela obsessão. Os temas obsessivos onipresentes são o dano, o risco ou o perigo. Entre as obsessões comuns estão as preocupações no que diz respeito à contaminação, a dúvida, a perda e a agressividade. Caracteristicamente, os indivíduos com um distúrbio obsessivo-compulsivo sentem-se compelidos a realizar rituais (atos intencionais repetidos com um objetivo) para controlar uma obsessão, como, por exemplo, lavar-se e limpar-se para ficar livre de contaminação, verificações repetidas para suprimir as dúvidas, guardar as coisas para evitar perdas e evitar as pessoas que podem ser objeto de agressão. A maioria dos rituais, como o de lavar as mãos excessivamente ou de verificar várias vezes se uma porta foi trancada, podem ser observados.
Outros rituais são mentais, como as contagens repetidas ou as afirmações para diminuir o perigo. Esse distúrbio é diferente da personalidade obsessiva-compulsiva. Os indivíduos podem tornar-se obsessivos em relação a praticamente qualquer coisa e seus rituais nem sempre estão logicamente relacionados ao desconforto que eles procuram minimizar. Por exemplo, um indivíduo preocupado com a contaminação pode sentir diminuição do desconforto ao colocar casualmente a mão em um bolso. A partir desse momento, cada vez que ele sente uma obsessão relacionada à contaminação, ele irá colocar a mão repetidamente no bolso. A maioria dos indivíduos com um distúrbio obsessivo- compulsivo tem consciência de que suas obsessões não refletem riscos reais. Eles percebem que o seu comportamento físico e mental é exagerado a ponto de ser estranho. Por essa razão, o distúrbio obsessivo-compulsivo difere dos distúrbios psicóticos, nos quais os indivíduos perdem o contato com a realidade. O distúrbio obsessivo-compulsivo afeta cerca de 2,3% dos adultos e ocorre de forma aproximadamente igual em homens e mulheres. Como os indivíduos com distúrbio obsessivo-compulsivo temem passar vergonha ou ser estigmatizados, eles freqüentemente realizam seus rituais secretamente, embora estes possam exigir várias horas por dia. Aproximadamente um terço dos indivíduos com esse tipo de distúrbio apresenta depressão no momento que que ele é diagnosticado. Em conjunto, dois terços tornam-se deprimidos em algum momento.

- Tratamento

A terapia de exposição, um tipo de terapia comportamental, freqüentemente ajuda os indivíduos com distúrbio obsessivo-compulsivo. Nesse tipo de terapia, o paciente é exposto a situações ou a pessoas que desencadeiam obsessões, rituais ou desconforto. O desconforto ou a ansiedade do paciente diminuem gradualmente se ele evitar de realizar o ritual durante exposições repetidas ao estímulo que o desencadeia. Desse modo, ele aprende que o ritual não é necessário para diminuir o desconforto. Em geral, o tratamento dura anos, provavelmente porque aqueles que conseguem aprender a utilizar esse método de auto-ajuda continuam a utilizá-lo como um modo de vida sem muito esforço após o término do tratamento. Os medicamentos também podem ajudar muitos indivíduos com distúrbio obsessivo-compulsivo. Três deles (a clomipramina, a fluoxetina e a fluvoxamina) foram aprovados especificamente para esse uso e foi demonstrado que outros dois (a paroxetina e a sertralina) também são eficazes. Outros medicamentos antidepressivos também são usados, mas com uma freqüência muito menor. A psicoterapia, com o objetivo de um maior conhecimento e compreensão dos conflitos subjacentes, , não tem se mostrado eficaz para aqueles que sofrem de um distúrbio obsessivocompulsivo. Comumente, o melhor tratamento consiste em uma combinação do tratamento medicamentoso e a terapia comportamental.  (+ info)

AlGUÉM CONHECE A DOENÇA TRICOTILOMANIA???????


CONHECE ALGUEM Q TEM ESSA DOENÇA??
----------

Faz uns 3 anos q vi uma reportagem onde uma moça q tinha essa doença estava falando dos avances psicológicos q estava tendo ao se por em tratamento, em ocasiões raspava a cabeça para ver se assim perdia a mania de arrancar os cabelos e ñ adiantava pq nada mais começar a crescer, voltava a arrancar, na reportagem q via, associavam essa doença com a ansiedade dos que sofrem de anorexia.  (+ info)

Como ajudar alguem q tem Tricotilomania?


O que eu sei é que a Tricotilomania pode ser causada por acúmulo de estresse ou sedentarísmo, durante as quais as mãos estão livres.

Não se sabe qual é a causa da Tricotilomania e pesquisas ainda estão sendo efetuadas com fins de descobrir mais sobre esse distúrbio.

De qualquer modo, procure um especialista!

Felicidades e melhoras!  (+ info)

Tenho alopecia e sofro de tricotilomania?


Soube que isso nao tem cura que os cabelos nao crescem mais, porem, ouvir falar que em cuba existe uma medicacao que pode ser a cura, alguem sabe como falar com alguem de Cuba, so que la nao tem internet.
----------

Nil,

Peça informações na Embaixada de Cuba

SHIS QI 5, Conjunto 18, casa 1

CEP 71615-180 - Brasília-DF

Telefonos: (61) 248 4710, 248 4215

Fax: (61) 364 1511, 248 6778

E-mail: [email protected]

[email protected]

Boa sorte
Abs.  (+ info)

existe algum tratamento para a tricotilomania?


doença de arrancar os pelos
----------

Ola.

Não existe um tratamento completamente eficiente. O ideal é a seguinte combinação:

-Resistir ao impulso. Quanto mais você resistir melhor, por mais ansiosa que fique. Sem essa resistência nenhum tratamento dá certo.

-Psicoterapia Cognitivo-comportamental (TCC).

A TCC é um tipo de tratamento que tem como objetivo comportamentos específicos, sentimentos e padrões cognitivos com a intenção de modificá-los. Geralmente é administrada por um período determinado de tempo durante o qual se ensina várias técnicas para que consigam controlar seu problema. Na TCC a ênfase é colocada diretamente na modificação dos problemas e não nas explicações de porque eles começaram. Uma abordagem para a Tricotilomania típica da terapia comportamental é chamada de "reversão de hábito". Envolve o aumento da percepção do paciente de cada episódio de arrancar cabelo e da capacidade de interromper isso por meio de uma resposta competente. Técnicas para aumentar a consciência do arrancar de cabelos incluem identificar os desencadeantes e as seqüências de acontecimentos associados com o comportamento. Além disso, a pessoas normalmente monitora e registra cada ocorrência de arrancar cabelo, anotando informações como dia e hora, localização, pensamentos, sentimentos, número de fios arrancados, etc. que podem ser úteis ao tratamento. Um elemento crucial na reversão de hábito envolve a utilização de uma resposta competente para ajudar o controle da compulsão. A resposta competente é aquela que é incompatível com arrancar cabelo, como fechar as duas mãos com bastante força. A pessoa instruída a usar e manter a resposta competente por períodos breves quando estiverem entrando em situações de alto risco, quando sentirem a primeira compulsão ou mesmo depois que tiverem começado a arrancar cabelos. Outros elementos no treinamento de reversão de hábito dizem respeito à preparação de pessoas para o tratamento, à motivação contínua durante o tratamento e a treinos de relaxamento. Outras estratégias de terapia comportamental empregam procedimentos de "controle de estímulo". Arrancar cabelos normalmente ocorre em certas situações discretas, mas não em outras. Por exemplo, a maioria das pessoas arranca cabelo quando está sozinha. Por exemplo, ao assistir TV, falar ao telefone, ler e guiar. As técnicas de controle de estímulo são usadas em situações nas quais é provável que o comportamento ocorra e têm como objetivo interferir no comportamento. Típicas técnicas de controle de estímulo incluem o uso de objetos que impeçam o arrancar de cabelos como chapéus, lenços, luvas, protetores de borracha nas pontas dos dedos; também se deve manter as mãos ocupadas e longe dos cabelos. Como arrancar cabelos freqüentemente ocorre, aumenta ou reaparece juntamente com stress, técnicas de terapia comportamental também podem se concentrar no ensinamento de maneiras eficientes de controlar o stress : controle de respiração, profundo relaxamento muscular e técnicas cognitivas para ajudar o controle da angústia. Após o controle do distúrbio, a questão da "reincidência" deve ser abordada. Na prevenção da reincidência, ensina-se às pessoas como lidar com a recaída limitando os danos e retomando o controle do distúrbio.

Beijos.

Lenda Virtual.  (+ info)

Alguém aí já sofreu ou sofre de Tricotilomania? Se sim quero entrar em contato com você, precisamos conversar.


Sim eu tenho este problema e estou desesperada pois a falha na minha cabeça esta aumentando muito já está difícil esconder.
Gostaria de saber se tem algum medicamento para ajudar a crescer o cabelo.Por favor me ajude  (+ info)

Qanto tempo demora para crescer os cílios de uma pessoa?


Uma pessoa que sofra do distúrbio de Tricotilomania (mania de arrancar cílios) durante muitos anos, pode voltar a ter o seus cílios novamente caso ela se cure dessa doença ou eles jamais serão como eram antes? Existe algum produto que possa ser indicado para o crescimento mais rápido dos cílios neste caso? Antecipadamente agradeço pelas orientações.
Refazendo a pergunta a pedidos.... bjusssss
----------

Tricotilomania é uma doença que é mais conhecida por seus sintomas do que pelo seu nome. Pessoas que sofrem desse distúrbio de controle de impulsos arrancam os fios de cabelo para controlar a ansiedade e o nervosismo. Algumas enrolam os fios no dedo para depois puxá-los. Nos casos mais graves acabam ficando calvas ou com grandes falhas no couro cabeludo.

O ato de arrancar os fios de cabelo não ocorre, geralmente, na presença de outras pessoas (exceto membros da família imediata), e em situações sociais isso pode ser evitado. Existe registro de pessoas que chegam até mesmo a comer o cabelo removido (Tricotilofagia), o que pode formar uma bola no estômago e causar perda de apetite, vômito, dores etc.

Casos de tricotilomania (TTM) tem cura, e médicos afirmam que a depressão e o estresse causados por algum trauma (quando criança ou adulto) podem ser fatores desencadeantes da doença. Terapias (alternativas e tradicionais) funcionam em 60% dos casos. Em outros, medicamentos, como antidepressivos, são indicados.

Esse mal atinge principalmente as mulheres. Na maioria das vezes, elas não conseguem sair das crises sozinhas; precisam de ajuda psicológica de profissionais e parentes próximos. Conhecida por afetar gravemente a auto-estima, a tricotilomania resulta em reclusão e depressão. Por desconhecimento dos sintomas da doença, amigos se afastam e maridos pedem a separação alegando que as vítimas da tricotilomania estão fora de si. As poucas pessoas que conseguem tratar o distúrbio conseguem ter uma vida normal e feliz novamente. Uma vez recuperada dos traumas, há chances de os fios de cabelo voltar a crescer. Contudo, o processo demora, em média, de dois a seis anos.

Especialistas recomendam que, ao primeiro sinal do problema, um medico deverá ser consultado.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Tricotilomania  (+ info)

Por que os médicos psiquiatras não diagnosticam corretamente os pacientes?


Existe o Código Internacional de Dooenças.
Um indivíduo vai ao médico, sozinho e /ou acompanhado por um membro da famíia.
Na conversa, explica que usa drogas (maconha),que tem alteração de humor, oscilando entre euforia e depressão, que se sente extremamente irritado na parte da manhã e que vai melhorando ao entardecer, que tem claustrofobia, diversas manias, pânico, tanorexia, distúrbio de sono, que prefere lugares calmos, que tem visões, que o sexto sentido está mais apurado, que tem tricotilomania (mania de arrancar os cabelos) e não tem vontade de sair de casa nem de trabalhar.
Ah...esse indivíduo é extremamente inteligente e eficiente,quando quer.
Como vocês entendem o caso desse sujeito?
É caso de carência afetiva?
Qual C.I.D. deveria constar no seu Atestado Médico, para afastamento do trabalho, visto que na minha opiniao, não pode estar trabalhando?
Qual a medicação que esse indivíduo deveria fazer uso?
Esses males têm cura ou o tratamento é ad eternum?
Kojak: Como exercer atividade laborativa, bater ponto, cumprir os deveres inerentes de um cargo de responsabilidade se o indivíduo está sem vontade, sem ânimo, sem condições de saúde?
Dubull: Como um médico pode medicar se não sabe o que o paciente tem ao certo?
Paciente vira "cobaia"?
Podem dizer que é depressão, transtorno... mas... e se o caso for outro?
----------

Acredito que você deve ter notado que já não é tão ativo(a), motivado(a) e saudável como era quando mais jovem.
Incluso já desistiu de alguns objetivos e acha que sonhar é coisa da juventude, já que agora você é uma pessoa muito séria, com mais experiência, e sabe que a vida é realmente dura.
Além disso, o desânimo, a exaustão e as doenças psicossomáticas (causadas pela mente) começaram a atacar para valer.
Será que motivação, vitalidade e vigor são características que perdemos no decorrer da vida e que não conseguimos mais recuperar?

"Provavelmente já terá dito a si próprio: 'Com toda e experiência que agora tenho, o que eu não daria para ter uma parte do entusiasmo que já tive'. Ou talvez tenha dado uma desculpa para tudo, dizendo que 'perdeu suas ilusões'. Mas você não está seguro de que foram ilusões. A vivacidade da vida, o entusiasmo rápido, o desejo e a vontade de viver, a crença no destino, serão estas coisas ilusões? Ou serão sintomas da essência vital de que é feita a vida? E não será seu declínio um sintoma da morte?
O conhecimento não destrói a vontade de viver. É a dor e a perda de autodeterminismo que destroem esta vontade. A vida pode ser dolorosa. A aquisição de experiência é com freqüência dolorosa. Reter essa experiência é essencial. Mas não continuará a ser experiência, mesmo que não tenha dor?
Suponha que você pudesse apagar de sua vida toda a dor. física ou de outro tipo, que tivesse acumulado. Seria assim tão terrível ter de se separar de um coração partido ou de uma doença psicossomática, ou de medos, ansiedades e temores? (...)
Recorda-se de um dia, quando era mais novo, em que acordou e viu o orvalho cintilando sobre a relva e as folhas, e o Sol dourado brilhando sobre um mundo feliz? Recorda-se quão belo e agradável isto foi em outros tempos? O primeiro beijo meigo? O calor da verdadeira amizade? A intimidade de um passeio de cavalo ao luar?
O que fez com que o mundo deixasse de brilhar?"

Sim, as Doenças Psicossomáticas já têm cura, por certo não com medicamentos e um CID não é diagnóstico científico, portanto, estudar a Mente Humana é poder lidar com ela, não apenas com análise de comportamento ou com os efeitos sobre o corpo.
É isto sim, a tecnologia de encontrar a causa para a cura.
E já tem profissionais no Brasil preparados para isto.
.  (+ info)

terapias cognitiva comportamental gratuita ou um preço que eu poça pagar com ajuda de familiares?


eu sofro de tricotilomania! tenho 36 anos e por causa disso comesei um tratamento psiquiatrico mais tenho que ser acompanhada por um terapeuta a sim diz o medico! mais devido a essa doença me encontro trancada em casa sem cabelo e com muitos machucados na cabeça e sem conseguir produzir no trabalho trabalho com vendas e estou preste a perder o emprego! é por isso que gostaria de um lugar gratuito ou com um valor bem pequeno pois tenho dois filhos e sou divorciada e çn tenho ajuda de ninguem a ñ ser do meu proprio trabalho que na verdade nem tenho conseguido ir, tenho que me tratar enquanto há tempo para ñ perder o meu emprego!
desde já a gradecida e esperando uma resposta com fé e esperança de que tudo isso vai passar e eu poderei ser feliz e voltarei a me relacionar com as pessoas e com a sociedade novamente...
----------

Em várias faculdades de psicologia como a FMU , Mackenzie ou a PUC por exemplo, existem serviços gratuitos de psicologia com alunos do terceiro ano que são supervisionados por professores especializados. O atendimento é de fácil acesso, bastando entrar em contato com a faculdade que desejar e deixar seus dados numa fila de espera. Cada caso será avaliado, passando por uma triagem e voce poderá começar o tratamento assim que possível.  (+ info)

1  2  3  4  5  

Deixa uma mensagem sobre 'Tricotilomania'


Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui para ler o termo de responsabilidade.