FAQ - cistite intersticial
(Powered by Yahoo! Answers)

Depois de alguns anos descobri que tenho Cistite Intersticial alguem conhece essa doença, sabe como tratar?


Meu medico me receitou uma coposiçao de três remedios que sao: Disfosfato de Cloroquina+Piroxcan+Amitriptilina. E se nao der resutado será injetado um tal de D.M.S.O, direto na bexiga atravez de sonda, alguem conhece outra forma de tratamento?
----------

Pelo que sei é doença rara, mes se ele receitou deve ser esse o tratamento.

@  (+ info)

qual a diferença da cistite nao infecciosa para cistite intersticial?


qdo tem uma inflamação na bexiga q nao tem bacterias ja quer dizer que é cistite intersticial?
----------

Digite a questão no YªYahoo! , ou na wikipédia ...

Mas ,melhor é consultar um médico especialista , no assunto ...


14.01 - E , no YR , combata os clonadores desonestos , que prejudicam a todos os outros participantes ...

Cdê o Regulamento , contra trapaças e trapaceiros ?  (+ info)

Necessito melhor dieta para tratamento de "Cistite Intersticial "- A urina tem que ser o menos acida possivel


Não confundir a cistite intersticial com uma vulgar cistite. Esta resposta sem menosprezo, obriga ao conhecimento da doença e de nutrição, mas você que me está lendo pode ter tido o mesmo azar do que eu e se estar dando bem com alguma dieta dada pelo seu médico ou nutricionista, talvez possa ajudar.
----------

Bom dia, pelo que sei (conheço) dessa patologia, em relação à alimentação é que uma das maneiras não medicamentosas de tratá-la é a supressão da alguns alimentos, como os abaixo:

Alcachofra; Aspirina (tamponada ou não); Apricot; Anchovas; Aspartame; Banana; Bebidas Gaseificadas (todas, incluindo a água com gás); Bebidas Alcoólicas; Bebidas Cafeinadas; Café (mesmo com leite); Carnes defumadas; Caviar; Cebola (mesmo cozida); Chá (mate, verde, preto); Chocolate (chocolate branco pode); Fígado; Frutas, alimentos e sucos ácidos - todos proibidos - uva, maçã, limão, laranja, lima, lima-limão; pêra, carambola, acerola, morango, tomate, pêssego, nectarina, abacaxi, caju, goiaba, groselha, tangerina, fruta-do-conde ou fava; mexerica, etc.; Vinagre e Vinagre Balsãmico; Molhos industrializados para salada (Salad Dressings); Molhos de Soja; Tofu; iogurte; Adoçantes artificiais; Nozes; Maionese; Caldos industrializados (como aqueles vendidos em tabletes) que contenham glutamato monossódico; Ajinomoto; Gatorade e outros isotônicos; alimentos em conserva - todos; Ibuprofeno (antiinflamatório); Vinho branco e chardonay; Champagne; Mel; Molhos de macarrão que levem tomate ou outros conservantes; Couve-Manteiga; Brócolis; Salsa; Rabanete; Nabo branco; Passas; Ameixas; Sal de Fruta ENO e similares, Pimentas de qualquer tipo e nacionalidade; Pimentão de qualquer cor; etc.

Para se fazer uso dos alimentos acima é preciso neutralizar o pH ácido resultante, com alguma substância, no Brasil dispomos apenas do bicarbonato de sódio, mas espera-se novidades em breve.

Procure um endocrinologista ou nutrólogo.

Espero ter ajudado.

Boa sorte

Prof. César (Personal)
[email protected]  (+ info)

Há algum tratamento para minorar as dores de uma " Cistite intersticial" através de medicinas alternativas?


Atenção - Cistite intersticial , não é uma vulgar cistite, é uma doença rara e incurável de muito dificil diagnóstico.
Provoca dores horriveis ao nivel do perineo e toda a zona envolvente, podendo mudar de sitio.
É necessário a resposta de alguém que esteja bem dentro desta matéria.
Cura , eu sei que não há, mas se conseguisse o alivio da dor, já não era mau e era o que gostava de saber.
----------

Se soubesse poderia ajudar,más não tenho nenhum conhecimento.  (+ info)

Alguém aí com cistite crônica(intersticial)?


Oii,gostaria de saber se alguem ai tem ou conhece alguem que sofra com esta doença.Me submeti a uma cistoscopia com biopsia em fevereiro deste ano e foi diagnosticado cistite cronica leve,tenho os seguintes sintomas..Vontade frequente de urinar,sensação de bexiga cheia o tempo todo,dor na relação sexual,mas raramente tenho dor na bexiga e ardencia,o q seria mais comum no quadro.
Pelas dores na relação agora minha ginecologista acha que possam estasr ligadas a endometriose,mas ainda não fiz o exame a laparoscopia,preferiria q as dores fossem recorrentes da bexiga pq endometriose causa infertilidade e qro muitoo engravidar,alguem pode me ajudar?
obrigado
beijo.
----------

CISTITE INTERSTICIAL É UMA CONDIÇÃO QUE RESULTA EM DOR RECORRENTE OU DESCONFORTO NA BEXIGA E REGIÕES AO REDOR DA PELVIS.UMA VEZ QUE A CISTITE INTERSTICIAL VARIA MUITO EM SINTOMAS E SEVERIDADE,A MAIORIA DOS PESQUISADORES ACREDITA NÃO SER UMA,MAS VÁRIAS DOENÇAS.NA CISTITE INTERSTICIAL,A PAREDE DA BEXIGA PODE SER IRRITADA,E FICAR CICATRIZADA ,ESTA DOENÇA É MAIS COMUM EM MULHERES.OS SINTOMAS DESSA DOENÇA PODEM DESAPARECER COM MUDANÇA NA DIETA,TRATAMENTO OU MESMO SEM EXPLICAÇÃO,MESMO QUE OS SINTOMAS DESAPAREÇAM,ELES PODEM RETORNAR DEPOIS DE DIAS,SEMANAS,MESES OU MESMO ANOS,UMA VEZ QUE A CAUS DA CISTITE INTERSTICIAL É DESCONHECIDA,OS TRATAMENTOS POSSUEM APENAS EFEITOS PALIATIVOS.  (+ info)

é possivel alguem q urina no maximo 4 vezes ao dia q nao levanta a noite para urinar tr cistite intersticial?


oi, sofro a 5 anos com desconforto urinario constante, eu nao considero dor apenas sensações de urina na bexiga varios desconfortos e queimação, e vem piorando cada vez mais. tbm nao aparece nada nos meus exames tudo norma a nao ser cistite cronica inespecifica, uma inflamação no colo vesical. mas axo q minha pergunta é simples. Mesmo eu urinando no maximo 4 vezes ao dia e nao evantando a noite pra urinar é possivel que eu tenha cistite intersticial? pq é o q acontece comigo eu urino geralmente 3 vezes ao dia ou duas e as vezes ate 1 vez apenas.
----------

isso esta me cheirando algum disturbio de ordem psiquiatrica, só 4 vezes,? é por necessidade ou por vontade, mas de qualquer jeito é muito perigoso  (+ info)

V. sabe algo sobre cistite intersticial? Conhece algum remedio natural?


A cistite intersticial é uma doença rara, sem cura até ao momento. Normalmente com prazo de diagnóstico de mais de 5 anos. Muitas doenças tem que ser eliminadas antes de se chegar ao diagnóstico que normalmente só é obtido através de uma cistoscopia com anestesia geral e biópsia da bexiga.
Beber água , não cura nada, é uma necessidade porque por vezes o não urinar é ainda mais doloroso. ( a frequencia urinaria é normalmente superior a 50 vezes por dia ) A água tem efeito numa cistite normal, mas a cistite intersticial não tem nada a ver com a vulgar cistite.Adorava saber de algum remédio natural..mas infelizmente nem os mais recentes estudos produziram um medicamento eficaz.
Eu uso o Pentosanopolissulfato de Sódio, mas...sem grande exito, infelizmente.
A Cistite apesar de ser rara em 90% dos casos só aparece em mulheres, mas também nos homens e eu sou exemplo disso, azar o meu.
Consulte o seu médico e obtenha a certeza de ser portadora de um cistite intersticial, muitas coisas se podem confundir com ela. e só a biópsia é mais ou menos determinante.
Uma boa dieta é fundamental para isto mas também eu ando á procura de saber quem é capaz de me fornecer uma dieta que funcione o melhor possivel, mas também ainda não arranjei pois o desconhecimento da doença é enorme mesmo por parte dos profissionais.  (+ info)

Quais são as causas da Cistite Intersticial?


Cistite Intersticial

Cistite intersticial, síndrome da bexiga dolorosa e síndrome da frequência-urgência-disúria são termos usados para descrever pacientes como os mesmos sintomas clínicos.
Cistite intersticial (CI) é uma inflamação crônica da bexiga, geralmente muito intensa, cuja causa é desconhecida e que acomete principalmente mulheres com idade de 20 a 60 anos.
Os sintomas mais comuns são: frequência (urinar a toda hora), urgência (ter uma vontade abrupta e intensa de urinar) e dor abdominal ou na região perineal (que inclui a região genital e perianal). Os pacientes podem também apresentar dores ás relações sexuais. Pacientes com CI raramente apresentam infecção urinária nos exames de urina. Infelizmente, não há um método definitivo para a confirmação do diagnóstico de CI. O diagnóstico é feito baseado nos sintomas, exame cistoscópico da bexiga sob anestesia (endoscopia para avaliar o interior da bexiga) e exclusão de outras doenças urológicas que possam causar sintomas semelhantes. Em muitos casos a biópsia da bexiga é útil, mas por vezes não é conclusiva.

Entre os pacientes com CI pode haver uma grande variação em termos de intensidade de sintomas. Alguns podem apresentar sintomas leves e, até mesmo, passar alguns períodos sem qualquer alteração. Outros alternam períodos de sintomas intensos com períodos de sintomas leves a moderados. Nos casos mais severos, os sintomas podem ser intensos durante a maior parte do tempo.
Poucos médicos ainda acreditam que a CI não é uma doença da bexiga, mas o resultado de um distúrbio psíquico-emocional, entretanto, a grande maioria dos médicos e pesquisadores apóiam amplamente os pacientes com cistite intersticial e encorajam seu tratamento clínico.

Para obter os melhores resultados possíveis no tratamento de pacientes com CI é necessário que o médico envolvido no tratamento destes pacientes tenha não só o conhecimento científico necessário para tratá-los, mas também que se identifique e tenha simpatia pelo problema destes pacientes.

HISTÓRIA DA CISTITE INTERSTICIAL

Os primeiros casos de cistite intersticial foram descritos há mais de 150 anos (1836) e o termo cistite intersticial foi usado pela primeira vez por Skene em 1887. Apesar disso, somente em 1987 foi realizada a primeira convenção médica nos Estados Unidos com o objetivo específico de debater esta doença amplamente. Desde então, o interesse por esta doença aumentou muito, fomentando pesquisas clínicas e experimentais que deverão possibilitar importantes avanços no conhecimento das causas da CI e no seu tratamento. A primeira definição de consenso de cistite intersticial foi proposta pelo Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, país com maior número de pacientes com CI. Baseado nela, a CI é diagnosticada pelos sintomas clínicos descritos acima após terem sido excluídas outras possíveis causas e reforçada também nos achados da cistoscopia e biópsia vesical.

QUAL É A CAUSA DA CISTITE INTERSTICIAL?

A causa da cistite intersticial não é conhecida. Múltiplas alterações são capazes de gerar os sintomas observados em pacientes com CI e portanto, não podemos olhar para esta condição clínica como uma doença única, mas como uma síndrome que pode ser causada por diferentes motivos em cada paciente.

Abaixo descrevemos algumas das teorias mais atuais das possíveis causas da CI:

Infecção: os sintomas iniciais da CI geralmente são iguais aos de uma cistite simples. Acredita-se que alguns tipos de microorganismos poderiam iniciar alterações no sistema imune que passaria a atacar a bexiga levando aos sintomas da CI.

Ativação dos mastócitos: mastócitos são células que participam do sistema imune do organismo e de diversas reações do tipo alérgica através da liberação de substâncias que causam uma reação inflamatória. São frequentemente encontrados em alta concentração na bexiga de pacientes com CI. Acredita-se que sua ativação por algum fator desconhecido possa ser uma possível causa da CI em alguns pacientes.

Aumento da permeabilidade da bexiga: A bexiga é revestida internamente por uma camada de células recoberta por açúcares e proteínas. Esta camada impede a penetração de substâncias tóxicas contidas na urina. Alguns estudos demonstraram que pacientes com CI podem ter defeitos na camada de revestimento, permitindo a passagem de substâncias que levarão aos sintomas da doença.

Anormalidades da composição da urina: Especula-se que alguma substância diferente pode ser eliminada na urina de alguns pacientes com CI, levando a uma reação alérgica ou imune na bexiga que determina os sintomas.

Mecanismos originados do sistema nervoso: pesquisas recentes indicam que os nervos que transmitem a sensibilidade da bexiga podem estar envolvidos na gênese da doença. Especula-se que possam estar envolvidos em algum processo inflamatório, determinando os sintomas de dor e sensação de enchimento vesical constante.

A CISTITE INTERSTICIAL É PROGRESSIVA?

Esta é uma das questões mais frequentes dos pacientes com cistite intersticial. Entretanto, a resposta para isto não é simples. Em muitos pacientes a cistite intersticial progride rapidamente para um estágio intenso e assim permanece por vários anos sem mudanças. Em outros, os sintomas podem progredir lentamente. Estudos epidemiológicos realizados nos Estados Unidos demonstraram os seguintes achados sobre a cistite intersticial:

É muito mais frequente em mulheres do que em homens.

A maioria das pacientes inicia os sintomas de CI aos 40 anos, sendo que 25% dos pacientes têm menos de 30 anos de idade no início dos sintomas.

É incomum haver progressão significativa dos sintomas após ter passado um longo período com sintomas leves a moderados.

Até 50% das pacientes apresentam melhora espontânea por períodos de 1 a 80 meses mesmo sem tratamento.

Problemas vesicais na infância são mais comuns na história clínica de pacientes com CI do que em indivíduos normais (às vezes os sintomas se originaram na infância, embora mais fracos)

Infecções urinárias são mais comuns na história clínica de pacientes com CI do que em indivíduos normais, mas geralmente são poucos episódios (raramente são vários episódios por anos, comprovados pelo exame de urina).

50% das pacientes com CI têm dor quando andam de carro.

63% das pacientes com CI são incapazes de trabalhar em período integral.

Nos Estados Unidos, pacientes com CI tâm mais pensamentos suicidas que a média do país.

A qualidade de vida de pacientes com CI é pior do que a de pacientes com insuficiência renal necessitando diálise.

O grau de escolaridade, estado civil e número de parceiros é semelhante ao da população geral.

QUAIS SÃO OUTRAS DOENÇAS QUE PODEM DAR SINTOMAS SEMELHANTES AOS DA CISTITE INTERSTICIAL?

Os sintomas da CI podem estar presentes em outras doenças, de tal forma que a CI pode ser confundida com muitas doenças que afetam a bexiga. Entre elas destacam-se a bexiga hiperativa (mulheres e homens), as infecções bacterianas (cistite simples ou complicada) os divertículos uretrais e vulvovaginites (em mulheres) e as inflamações e infecções da próstata (prostatites) e obstrução vesical (em homens).

CISTITE SIMPLES: A cistite simples é a inflamação da bexiga causada por uma infecção bacteriana. Os sintomas são iguais aos da CI, mas se iniciam de forma abrupta levando ao seu rápido diagnóstico através do exame de urina. O tratamento é muito eficaz e consiste na administração de antibióticos por curto período de tempo.

URETRITE: É o termo que descreve a inflamação ou infecção da uretra em homens ou mulheres. A inflamação pode ser causada por traumatismo uretral ou irritação por diferentes produtos, como espermicida, sabão, duchas vaginais e outros. Algumas doenças sexualmente transmissíveis também são chamadas de uretrites (gonorréia, infecção por clamídia).

TRIGONITE: Trigonite é a inflamação de uma parte específica da bexiga denominada trígono. Não é uma doença frequente e requer cistoscopia para seu diagnóstico.

PROSTATITE: Muitos homens com sintomas de dor perineal e sintomas urinários de frequência e urgência recebem o diagnóstico de prostatite. Este termo descreve a presença de uma inflamação na próstata que pode ser causada por infecção bacteriana (prostatite bacteriana aguda ou crônica) e por causas não infecciosas (na maioria das vezes de origem desconhecida). Uma outra condição que causa sintomas semelhantes é a prostatodinia. Alguns pacientes podem também apresentar alterações da força do jato de urina bem como do aspecto e volume do esperma. Para saber mais sobre as "doenças da próstata" .

BEXIGA HIPERATIVA: Pacientes com bexiga hiperativa podem ter frequência, urgência e episódios de incontinência. Como raramente apresentam dores na bexiga, a diferenciação com cistite intersticial é geralmente fácil. Para saber mais sobre a " bexiga hiperativa".

TUMORES VESICAIS: Tumores vesicais são mais frequentes em homens, costumam ocorrer após os 50 anos de idade e geralmente manifestam-se por sangramento na urina (hematúria). Por vezes, entretanto, podem gerar sintomas semelhantes aos da CI e fazem parte do diagnóstico diferencial desta doença.

CÁLCULOS VESICAIS OU URETERAIS: Cálculos vesicais ou ureterais (especialmente os localizados próximo à bexiga) geralmente manifestam-se de forma aguda com dores e hematúria. Em alguns pacientes podem ter uma apresentação clínica mais insidiosa e prolongada, podendo confundir-se com a cistite intersticial.

TUBERCULOSE VESICAL E OUTRAS CISTITES ESPECÍFICAS: A bexiga pode ser infectada por micro-organismos causadores de infecções de aspecto típico e peculiar somente àquele determinado agente infeccioso. É o caso da tuberculose vesical, que leva à fibrose e retração da bexiga gerando sintomas muito semelhantes ao da cistite intersticial. Embora seja uma doença incomum, a tuberculose vesical deve ser lembrada em todas as pacientes com sintomas de CI. Outra cistite específica é a esquistossomose vesical (inexistente no Brasil, ocorrendo em indivíduos de alguns países africanos - principalmente o Egito)

TRATAMENTO DA CISTITE INTERSTICIAL

Como os fatores causadores da CI não são conhecidos, as alternativas de tratamento são muito variadas. Tanto os pacientes como os médicos que tratam desta doença devem entender que nem sempre há uma cura certeira e nenhum tratamento é eficaz para todos os pacientes. Entretanto, a grande maioria (se não todos) poderá se beneficiar de alguma medicação ou combinação de tratamentos, mantendo-se satisfeita e apresentando períodos de remissão e exacerbação dos sintomas. Entre as alternativas de tratamento que mais frequentemente empregamos em nossos pacientes destacamos:

Conscientização e educação dos pacientes sobre a natureza de sua doença, as alternativas de tratamento existentes e medidas gerais que podem melhorar os sintomas (redução do stress, exercícios, banhos de imersão, restrições alimentares, combate à acidez da urina, etc).

Distensão da bexiga sob anestesia é uma das alternativas iniciais de tratamento e faz parte da avaliação clínica das pacientes com CI. Cerca de 30 a 50% das pacientes apresentam melhora dos sintomas com este método terapêutico. A durabilidade da melhora é variada e novas distensões podem ser necessárias no futuro.

Tratamento medicamentoso é geralmente necessário em muitas pacientes. Uma grande variedade de medicamentos tem sido usada para tratar pacientes com CI e cada um apresenta resposta diferente aos medicamentos. Assim, muitas vezes é necessário experimentar mais de um remédio antes de acertar um medicamento (ou combinação deles) que seja adequado para um determinado paciente. Entre as medicações mais utilizadas destacam-se: amitriptilina, polisulfato de pentosan, anti-colinérgicos, anti-histamínicos, corticoesteróides, vitaminas, etc.

Tratamento intra-vesical é uma importante alternativa terapêuticas para pacientes com CI. Uma das drogas mais utilizadas com este objetivo é o DMSO, que pode ser usado isoladamente ou em associação com outras drogas como heparina e esteróides. O intervalo e número de aplicações também pode variar, mas incluem de 1 a 2 aplicações semanais por 4 a 8 semanas. Outras drogas que vêm sendo utilizadas são a lidocaína (anestésico), Capsaicina, ácido hialurônico e BCG.

Neuromodulação tem sido realizada com sucesso em alguns pacientes. Pode ser feita com estimulação elétrica periférica ou acupuntura.

Cirurgias raramente são indicadas em pacientes com CI. Devem ser reservadas para pacientes que já tentaram insistentemente diversas formas de tratamento sem sucesso e que permanecem severamente afetados pela doença. Estes pacientes representam menos do que 5% do total de pacientes com CI. Entre as várias modalidades cirúrgicas que já foram utilizadas para o tratamento da CI destacam-se as cirurgias para ampliação da bexiga e as cirurgias para sua remoção. Os resultados destes procedimentos às vezes são desapontadores para médicos e pacientes e só devem ser realizados como último recurso.

ok  (+ info)

Alguem ja se curou dos sintomas da cistite intersticial? qual foi o medicamento utilizado?


Minha amiga,pare de procurar aqui algo que só um médico com seus exames em mãos pode lhe fornecer com segurança,um tratamento adequado ,passe no medico e veja qual o tratamento adequado às suas necessidades,nem todo medicamento funciona para todo mundo.  (+ info)

Preciso saber se alguém conhece uma doença chamada cistite intersticial.?


Qual o melhor tratamento para essa doença. Minha mãe sofre a muito tempo com muitas dores e os tratamentos não tem gerado resultados
----------

Olá... Também sofro com esse problema...

Alguns dos sintomas de cistite intersticial assemelham àqueles de infecção bacteriana, porém testes médicos não revelam organismos na urina. Além disso, pessoas com cistite intersticial não respondem à terapia com antibióticos. Pesquisadores estão trabalhando para entender as causas da cistite intersticial.

Muitas mulheres com cistite intersticial possuem outras condições médicas, como síndrome do intestino irritável e fibromialgia. Cientistas acreditam que cistite intersticial possa ser uma manifestação na bexiga de uma condição médica mais geral em vários órgãos e partes do corpo.


Os sintomas variam de caso a caso, e mesmo na própria pessoa. Os pacientes podem experimentar desconforto moderado, pressão, sensibilidade ou dor intensa na bexiga e área pélvica. Os sintomas podem incluir necessidade urgente e/ou freqüente de urinar. O dor pode mudar de intensidade à medida que a bexiga enche ou esvazia de urina. Os sintomas nas mulheres geralmente pioram durante a menstruação. Elas também podem algumas vezes sentir dor durante intercurso vaginal.

Uma vez que os sintomas de cistite intersticial são similares a outras desordens da bexiga, e não há teste definitivo para a identificar, o médico deve eliminar outras condições médicas tratáveis antes de considerar o diagnóstico de cistite intersticial. As mais comuns doenças com sintomas similares à cistite intersticial são infecções no trato urinário e câncer na bexiga. A cistite intersticial não está associada com elevação no risco de desenvolver câncer.

O diagnóstico de cistite intersticial na população geral é baseado em:
* Presença de dor relacionada à bexiga, geralmente acompanhada por freqüência e urgência em urinar.
* Ausência de outras doenças que poderiam causar os sintomas.

O primeiro medicamento aprovado pelo FDA (órgão americano que regula medicamentos) para cistite intersticial foi o pentosano polissulfato de sódio (Elmiron®). Nos testes clínicos ele melhorou os sintomas em 30% dos pacientes com cistite intersticial.

Em casos de desconforto moderado os medicamentos orais primeiramente usados são aspirina e ibuprofeno. Outros medicamentos também podem ser receitados para aliviar a dor. Todos os medicamentos podem ter efeitos colaterais e só devem ser usados sob supervisão médica.  (+ info)

1  2  3  4  5  

Deixa uma mensagem sobre 'cistite intersticial'


Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui para ler o termo de responsabilidade.