FAQ - hemangioma
(Powered by Yahoo! Answers)

realizei uma ressonância e apareceu hemangioma,lombar+cervical,devo envestigar e com quem?


tenho 39anos,e trabalho com pacientes faço muito esforço pode haver complicação
----------

Leve seu exame ao oropedista para ele examinar o exame direito e te dar um laudo preciso para você.
Os hemangiomas são um conjunto densos anormais de pequenos vasos sangüíneos dilatados (capilares) que podem ocorrer na pele ou em órgãos internos.
Geralmente não há complicação nenhuma, mas em alguns raros casos pode se tornar uma úlcera, então é necessário o acompanhamento médico.  (+ info)

recebi diagnostico amiloidose, que especialista procurar pois ja tive varias crises renais/hemangioma figado


A amiloidose é uma doença rara ( afeta oito em cada 1 milhão de pessoas ), progressiva e geralmente incurável, que ocorre quando há acúmulo, ao redor dos vasos sangüíneos, de pedaços de proteína dobrados em uma configuração altamente estável ( em folhas de pregueamento "beta" ). Essas proteínas são produzidas na medula óssea em conseqüência a uma série de doenças, o que torna a amiloidose não uma doença em si, mas uma manifestação de outra doença.


Modelo estrutural da proteína amilóide. Aqui estão representadas 4 folhas paralelas.
Sunde M, Serpell LC, Bartlam M, Fraser PE, Pepys MB, Blake CCF J Mol Biol 1997 Oct 31;273(3):729-739



Como essas proteínas ( que variam de acordo com a causa ) são muito estáveis, vão se depositando em um ou mais órgãos, podendo comprometer o seu funcionamento e, em casos mais graves, morte. Os órgãos mais afetados são o coração, rins, trato gastrintestinal e sistema nervoso central, mas pode afetar também língua, músculos, pele, ligamentos, articulações, baço, pâncreas e, claro, o fígado. A amiloidose ocorre com a mesma freqüência em homens e mulheres, geralmente após os 40 anos de idade e, se não tratada a causa, evolui para o óbito em 1 a 2 anos após o diagnóstico ( mas depende muito da causa e gravidade da doença ).

Tipos de Amiloidose

Há três tipos principais de amiloidose, a primária, a secundária e a genética.

A amiloidose primária (AL) é a mais comum, aonde a proteína amilóide é um fragmento da cadeia leve de imunoglobulinas ( proteínas que fazem parte do sistema imunológico ), que é produzida em excesso por células imunológicas. Geralmente está associada a uma doença da medula óssea, o mieloma múltiplo. O acúmulo de amilóide geralmente afeta o coração, rins, pulmões, pele, língua, nervos e intestino.

Na amiloidose secundária (AA), a proteína depositada é chamada de amilóide sérico A e é uma proteína produzida pelo fígado em resposta a processos inflamatórios. Por esse motivo, essa amiloidose é observada em pessoas portadoras de doenças inflamatórias sem tratamento adequado por mais de uma década, especialmente doenças inflamatórias intestinais ( Crohn e retocolite ulcerativa ), artrite reumatóide, osteomielite, tuberculose, hanseníase e outras doenças.

A amiloidose hereditária é muito rara e ocorre quando uma mutação genética leva a produção de uma proteína amilóide ( transtiretina, proteína beta-amilóide P, apolipoproteína A1, procalcitonina e beta-2-microglobulina ). A identificação da proteína envolvida é importante para prever suas possíveis complicações, tratamento precoce e risco de transmissão para os filhos.

Sintomas

Como as proteínas amilóides só foram identificadas recentemente, os estudos sobre sintomas da amiloidose tratam todas como uma proteína só. Com o avanço nos próximos anos, poderemos diferenciar mais adequadamente os sintomas dependendo da causa.

Sinais e Sintomas da Amiloidose

Primária
Doença cardíaca e arritmia

Doença renal, incluindo insuficiência

Distúrbios gastrintestinais, como perfuração, sangramento, dismotilidade e obstrução

Aumento do fígado (hepatomegalia)

Redução na função do baço

Insuficiência da adrenal e outras glândulas

Neuropatia, levando a impotência, problemas gastrintestinais e hipotensão ortostática (quando se levanta rapidamente)

Síndrome do túnel do carpo

Alterações neurológicas, como espessamento, mudança de cor, púrpura ao redor dos olhos

Aumento na língua, dificuldade respiratória e apnéia noturna

Doenças pulmonares

Inchaço nas articulações dos ombros

Facilidade de sangramento

Secundária
Doença renal, incluindo insuficiência (causa do óbito em 40-60% dos casos)

Aumento do fígado (hepatomegalia)

Aumento do baço (esplenomegalia)

Doenças cardíacas (mais leve que nas outras amiloidoses)

Hereditária
Distúrbios do sistema nervoso

Distúrbios gastrintestinais, como diarréia e perda de peso

Doenças cardíacas

Doença renal


Em geral, a pessoa tem queixas antigas de fadiga, perda de peso, edema (inchaço) nas pernas e falta de ar antes do diagnóstico. Podem ainda apresentar sensibilidade diminuída nos dedos, diarréia, empachamento após alimentação, aumento na espessura da língua e tonturas ao se levantar.

O fígado costuma estar aumentado (hepatomegalia) pela deposição dos amilóides, mas isso raramente chega a prejudicar a sua função. Algumas vezes surge ascite, mas ela também está associada a insuficiência do coração e perda de (outras) proteínas pelos rins (síndrome nefrótica).

Diagnóstico

Após a suspeita clínica, pode ser realizada a pesquisa de amilóides de cadeia leve no sangue ou urina, que serve como exame de rastreamento. Depois disso, são realizadas biópsias de gordura subcutânea, mucosa retal e/ou medula óssea para confirmação diagnóstica. Em alguns casos, é necessária a coleta de biópsia do órgão afetado. Essas biópsias mostrarão o acúmulo da proteína amilóide.


Biópsia renal corada com vermelho Congo, mostrando o aspecto "fluorescente" da proteína amilóide.

No fígado, além da hepatomegalia observável ao exame físico e de imagem, a biópsia revela birrefringência esverdeada no espaço de Disse após coloração com o vermelho Congo e atrofia hepatocelular (por redução do transporte de nutrientes e oxigênio). Como geralmente há alteração de coagulação (anormalidades vasculares, plaquetopenia, redução de fatores IX e X que se ligam às proteínas amilóides), não recomenda-se a realização de biópsia do fígado.

Tratamento

Não há cura para a amiloidose. Os objetivos do tratamento, a partir do diagnóstico, são reduzir ou diminuir a produção do amilóide, eliminar depósitos, aliviar ou curar a doença de base e tratar as complicações decorrentes pelos depósitos nos órgãos acometidos.

Diversas drogas estão sendo utilizadas em situações específicas, como melfalan, prednisona, colchicina, talidomida, dexametasona e outros, mas com resultados limitados.

No caso da amiloidose hereditária com produção de transtiretina, por exemplo, essa proteína causa lesões neurológicas e cardíacas fatais, mas é produzida no fígado e a realização de transplante hepático é capaz de prevenir essas complicações.

Em casos selecionados, a quimioterapia seguida de transplante autólogo de células-tronco da medula óssea traz bons resultados.

Bibliografia

Habib, A e Neuschwander-Tetri, BA em Friedman, SJ, McQuaid, KR e Grendell, JH. Current Diagnosis & Treatment in Gastroenterology, Second Edition, McGraw Hill, 2003

Scheuer PJ, Leftkowitch, JH; Liver Biopsy Interpretation. Saunders, 2000

Cannon JD, Pullen RL e Rushing JD Managind the Patient with Amyloidosis, Dermatol Nurs 16(3): 255-230, 234-235, 2004  (+ info)

gostaria de saber sobre hemangioma ósseo?


O hemangioma é uma proliferação vascular benigna que pode ser capilar ou cavernosa. O hemangioma vertebral geralmente é assintomático e descoberto incidentalmente, sendo relatada incidência de 11% em uma série de necropsias(1). Quando sintomático, a apresentação mais freqüente ocorre sob a forma de dorsalgia e, em alguns casos, pode estar associada a compressão radicular ou medular, causando déficits sensitivo e motor(2).

Na radiografia simples os hemangiomas caracterizam-se por apresentar trabeculados verticais paralelos nos corpos vertebrais. A tomografia computadorizada (TC) revela a presença de trabéculas espessas e áreas radiotransparentes, e a ressonância magnética (RM) apresenta sinais hiperintensos em T1 e T2(3).

A radioterapia pode ser utilizada no tratamento dos hemangiomas vertebrais de forma exclusiva ou associada à cirurgia. Há poucos relatos na literatura sobre a utilização de radioterapia exclusiva em hemangiomas vertebrais, e a revisão dessas publicações prévias demonstra a variabilidade de esquemas propostos em casos isolados ou pequenas séries(4-8).

Neste relato descrevemos a apresentação clínica e dos exames de imagem, e a utilização da radioterapia exclusiva em um caso de hemangioma vertebral, e complementamos com revisão da literatura.



@  (+ info)

Minha bebe de 8 meses nasceu com hemangioma plano no abdomen...cresceu no volume e parece uma almofadinha.?


Um pediatra indicou cirurgia, 02 disseram que vai sumir até 09 anos. Ela esta muito esperta e esta colocando a mãozinha direto la, sem contar que só coloco roupinhas com algum aplique com bori por baixo, pois tenho medo de sangrar.Alguem ja passou por isso, comentem, obrigada, Andréia.
----------

Andreia, eu faria tratamento mas, vc deve decidir pelo melhor!

Hâ uma associação para pessoas com hemangiona, veja no site:.

http://hemangioma.zip.net/  (+ info)

A tratamento para hemangioma na face na região dos olhos cor roxa??


Tenho um sinal de nascença como tinha o Tim Maia...e qdo vou ficar menstruada ou choro...ela fica mais roxa ainda...esta me incomodando...sempre me perguntam se eu apanhei do meu marido...
Disseram q c laser pode melhorar como piorar e ficar mais branco q minha pele...

Gostaria de clarear um pouco...sei q são ramificações de vasos sanguinos ...

Alguem tem uma dica??
----------

Os hemangiomas são alterações vasculares na pele, principalmente do rosto e pescoço, mas que podem estar em qualquer parte do corpo, desde o nascimento ou que, muitas vezes, só aparecem alguns dias após.

No início, são apenas pequenas lesões avermelhadas, que com o passar do tempo podem se tornar maiores e adquirir aspecto elevado e de coloração vermelha-escura. Em alguns casos, desaparecem com o tempo, mas em outros podem ser definitivas e provocar grandes deformidades.

Várias formas de tratamento foram propostas para o hemangioma, mas, infelizmente, a falta de uma classificação e de um melhor conhecimento da doença, quase sempre resultava em tratamentos inadequados, que desfiguravam mais do que a lesão primária.

Há muito se acreditava que todos os hemangiomas sofriam uma regressão, por volta dos cinco anos e, por isso, a grande maioria dos médicos adotava uma conduta conservadora, esperando que as lesões curassem sozinhas. Mas estudos recentes mostraram que a cura completa só acontecia em apenas metade dos pacientes.

E, dos que não regrediam, cerca de dois terços permaneciam com lesões promotoras de grandes defeitos estéticos.

A opinião a respeito do melhor tratamento está sempre mudando em conseqüência de um maior entendimento da doença, do avanço da tecnologia a laser e das técnicas cirúrgicas, do uso apropriado de corticóide sistêmico em crianças, da avançada técnica de anestesia infantil e do claro conhecimento do trauma psicológico sofrido pelas crianças.

Mas, apesar deste progresso, muitos médicos consideram a intervenção, em pacientes que não tenham um defeito funcional, controversa e contra-indicada.

O estudo

Tentando por fim às controvérsias, pesquisadores dos Estados Unidos (do Albany Medical Center Vascular Malformation Clinic), liderados pelo Dr. Edwin F. Williams III, conduziram um estudo baseado no conhecimento da história da doença, na literatura e na experiência dos mesmos neste centro.

O trabalho teve como objetivo elaborar e provar a eficácia de um roteiro, que pudesse facilitar e promover um melhor acompanhamento dos portadores de hemangioma.

Os resultados desse estudo e o roteiro produzido foram publicados na revista Arch Facial Plast Surg. de maio de 2000. Os pesquisadores acompanharam todos os pacientes atendidos na clínica, de 1/10/95 a 31/12/97.

Obteve-se uma história completa sobre a doença e foi feito um exame físico minucioso,complementado por fotografias das lesões. Os hemangiomas foram classificados em fase proliferativa e fase involutiva.

A primeira fase começa com o nascimento e continua até a lesão parar de crescer, durando dos 9 aos 12 meses de idade, podendo, às vezes, chegar aos 15 meses. A fase de involução sucede à fase proliferativa e continua por muitos anos.

Além disto, os hemangiomas também foram classificados de acordo com a sua localização e quanto ao acometimento funcional (visual, das vias aéreas ou ulceração). Seguindo o roteiro proposto, foram feitas recomendações de tratamento, e os pacientes foram acompanhados mensalmente, durante a fase proliferativa e, anualmente, durante a fase de involução.

Roteiro para tratamento durante a fase proliferativa,

Durante essa fase, os procedimentos propostos foram a observação, a injeção intra-lesional de corticóide, a terapia sistêmica com corticóide, o tratamento com laser e a cirurgia.

O laser foi usado em todos os pacientes com lesões superficiais, de dois a dez mm de tamanho, durante a fase de crescimento rápido e também em todos os hemangiomas ulcerados.

A cirurgia foi indicada para lesões que provocavam perda funcional, para pacientes que não podiam ser tratados por impedimento médico ou que não respondiam ao tratamento sistêmico com corticóides. A aplicação de corticóide intra-lesional foi usada em hemangiomas no tecido subcutâneo (profundos), localizados no rosto.

Este tratamento foi também recomendado para todos os pacientes portadores de lesões que, potencialmente, poderiam causar uma perda funcional.

A terapia de aplicação intra-lesional era indicada também para pacientes que haviam feito tratamento com corticóide sistêmico e estavam apresentando um novo crescimento no fim da faze de proliferação.

Tinham recomendação para terapia sistêmica com corticóides as lesões que estavam na fase rápida de proliferação, as com localização profunda, aquelas que potencialmente poderiam causar uma grande desfiguração e as lesões que não responderam à aplicação intra-lesional.

Os hemangiomas que não se localizavam na face, ou muito pequenos e que não provocavam alterações estéticas eram apenas observados.

Roteiro de tratamento durante a fase de involução

Nenhuma tentativa de tratamento foi feita na fase de involução recente (menos de dois anos de idade ou fase caracterizada por grande involução durante dois a três meses de observação), pois nesta não é possível saber, o que é resposta ao tratamento e o que é a evolução natural do hemamgioma.

A fase de involução tardia geralmente ocorre após os dois anos de idade e se caracteriza pela ausência de mudanças significativas em dois ou três meses de observação.

Nesta fase, para os pacientes que não mais apresentavam redução no tamanho das lesões, foi oferecida a terapia a laser e/ou cirurgia, pois, estatisticamente, essas crianças entrariam na escola ainda com uma lesão significativa.

A cirurgia consistia na retirada da lesão propriamente dita e o laser usado para tratar as alterações da pele decorrentes da involução. As terapias com corticóide não foram usadas, pois os hemangiomas nessa fase não respondem a este medicamento.

Quando o tratamento chegava ao fim, ou quando nada mais poderia ser feito em adição ao mesmo, os pacientes eram novamente fotografados e liberados da clínica.

Resultados

Os pacientes submetidos à injeção intra-lesional e à terapia sistêmica com corticóides mostraram uma boa resposta, interrompendo a fase de proliferação.

Efeitos colaterais foram observados em todos esses pacientes, mas nenhum definitivo. Os que receberam terapia a laser tiveram respostas diferentes, de acordo com as características individuais.

Os pacientes tratados no início da fase de proliferação rápida, tiveram remissão completa da lesão, sem complicações significativas. Houve apenas inflamação temporária, com escurecimento da pele afetada, em um pequeno número de pacientes. Todos os pacientes submetidos à terapia cirúrgica obtiveram sucesso, sem quaisquer complicações.

Ao fim do trabalho, os autores concluíram que um diagnóstico preciso e uma avaliação precoce são extremamente importantes para uma boa condução dos casos de hemangioma, acreditando que o roteiro proposto atende a esses fins.

Site: http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=3182&ReturnCatID=1767  (+ info)

Hemangioma cavernoso tem cura?


Nasci com um hemangioma na cabeça, e tem me perturbado desde então. Disseram que é benigno, mas pensem só: O meu é do tipo que cresce.
Alguém poderia me responder?
----------

Hemangioma cavernoso tem cura sim... a forma menos invasiva seria embolização via angiografia, onde o médico fa uma obstrução na artéria que fornece sangue ao hemangioma.
Procure um médico especializado
uma boa semana
prof  (+ info)

Como acontece o hemangioma? Ele desaparece?


Minha filha tem 3 meses. Ela tem um enorme hemangioma no braço esquerdo, é grande e tem bastante volume, parece um morango.

Como se forma o hemangioma? Tem alguma coisa haver com o sangue da mãe ou do pai?

Ouvi falar que é rompimento dos vasos sanguíneos, mas como se rompem? No nascimento? Se rompe porque o médico machuca o bebe? ou é algum problema com a mãe?

Isso desaparece mesmo? Estou muito nervosa porque não posso usar roupas de manga curta porque aparece e dá um choque pra quem vê.

Por favor me respondam.

Muito obrigada
----------

Tem o site www.hemangioma.com.br que pode ajudar a tirar muitas dúvidas suas. Peguei um trecho para animar você.
" termo hemangioma é usado para denominar genericamente um grupo extenso de lesões vasculares que devem ser melhor chamados de tumores vasculares da infância ou angiodisplasias. Os tumores vasculares são os tumores mais freqüentes da infância com incidência de 3-5 para cada 100 nascimentos.
São lesões benignas que aparecem nos primeiros meses de vida e, em alguns casos, podem desaparecer até os 7-10 anos de idade. São extremamente variáveis na sua forma de apresentação clínica. A grande maioria é constituida de pequenas lesões vinhosas sem maior repercussão para a vida do paciente e são considerados pelos familiares como "manchas de nascença". Portanto este é o grupo de crianças, cerca de 85%, para os quais casos adotamos conduta expectante. Cerca de 15% dos tumores vasculares se comportam de maneira a requerer intervenção."

Agora, morango não é coisa grande. Que bom que nasceu no braço. Fique feliz com sua filha. Exiba a sua filha, porque ela tem vida e saúde. Seja feliz que ela crescerá feliz. Não tem que ficar com vergonha de nada e escondendo nada, pois assim você só piorará as coisas e dificultará as coisas para ela desde já e no futuro. Ou seja, ela vai crescer sofrendo o seu preconceito, quando tudo o que ela quer é ser aceita e amada incondicionalmente por você. Não tem nem o quê superar. Quem deras que todos os problemas do mundo e de nossos filhos fossem apenas um hemangioma do tamanho de um morango, no braço...
Nada de sufocar a menina com roupas de manga comprida. Se alguém perguntar e sempre tem um inconveniente e desagradável, diga que é de nascença e encerre o papo, mude de assunto. Não tem que entrar em detalhes ou ouvir besteira.
Ou então dê o endereço do site para o curioso. Ignore.
Converse a pediatra da sua filha ou uma geneticista para ter mais orientações e sentir-se mais segura.  (+ info)

Hemangioma! Por favor me respondam???????


Oi pessoal, o meu esposo fez uns exames recentemente e acusou HEMANGIOMA no fígado.Apesar dele sentir muitas dores na região do fígado os médicos disseram que ele nao tem nada, que as dores sao falta de exercicios, e este Hemangioma e normal na idade dele,ele tem 39 anos.Por favor estou mt preocupada se vcs conhecem alguem q ja passou por isso por favor me respondam para q eu possa esclarecer minhas duvidas.Obrigada!
----------

Hemangiomas são como pequenos vasos que se dilatam. São comuns na coluna, no fígado, no pulmão e não se trata de nada grave.  (+ info)

Hemangioma desaparece?


Minha filha tem 1mês e meio e começou com uma manchinha vermelha no braço esquerdo e agora cresceu tipo um morando. O médico disse que é hemangioma e que desaparece com o tempo, é verdade?
----------

É verdade sim. Normalmente, some por completo.  (+ info)

Hemangioma Vertebral?


Alguem aqui já tratou com radioterapia um hemangioma vertebral, pois eu tratei e os medicos nw me esclarece muita coisa, preciso saber sobre o depois, por favor me ajudem...
----------

Amiga eu nunca tratei não, mas aqui tem uma página que pode tirar suas dúvidas pois há varios depoimentos, dá uma olhadinha:

http://sites.uol.com.br/livro_de_visitas.html?usuario=andrea_domingues

e dá uma checada nesse site aqui também ó:

http://www.medstudents.com.br/diagnostico.asp?regid=24

Bjos e boa sorte!!!  (+ info)

1  2  3  4  5  

Deixa uma mensagem sobre 'hemangioma'


Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui para ler o termo de responsabilidade.