FAQ - transtornos psicóticos afetivos
(Powered by Yahoo! Answers)

quem esta em tratamento com depressao f25.1 cid 10 tomando varios tipos de remedios pode trabalhar e dirigir?


meu marido esta em tratamento psiquiatrico toma varis tipos de remedios ele pode voltar a trabalhar e dirigir veiculos escolar o detran
suspendeu sua habilitaçâo desde 2008 e agora em setembro vai ven-
cer.o prazo de um ano ele tera que faser nova avaliaçâo no detran como e que se faz neste caso o inss pode dar alta para ele oque devo
faser ele toma anti psicoticos e calmantes como ele vai trabalhar assim diz o psiquiatra dele que a depressao dele e grave ele vai ter que
tomar remedios para vida toda isto e verdade alguem sabe me informar.
----------

Se ele toma os medicamentos a noite e vai trabalhar pela manhã sem estar tonto, não há problema algum. Não pode e tomar e sair para dirigir, aí ferrou!
Espero que ele já esteja bem para voltar a trabalhar, pois isso o ajudará muito!



Bom feriado!  (+ info)

Risperidona e Neozine, juntamente com Tegretol, Fluoxetina e Buspirona?


Olá pessoal,

Sei que a pergunta pode soar um tanto quanto complexa, mas gostaria de alguma ajuda, pois não sei o que fazer.

Estou me tratando com um psiquiatra há 4 meses, após passar mais de quatro anos sofrendo, sem procurar ajuda, e 1 ano me consultando com um neurologista.

Bom, este psiquiatra me receitou primeiramente 10 Mg de Fluoxetina pela manhã, um Tegretol CR 200 MG ao almoço e um ao jantar, e 20 Mg de Fluoxetina e 10 Mg de buspirona à noite.

Ontem, em consulta, adicionou aos medicamentos acima 1 cápsula de 1 Mg de Risperidona pela manhã e 10 gotas de Neozine à noite.

Bom, vale ressaltar que este psiquiatra me diagnosticou como portador do transtorno bipolar, mas sempre achei que tivesse depressão e/ou síndrome do pânico. Vale ressaltar que tenho mais "baixos" do que "altos", ou seja, vivo mais em depressão do que outra coisa.

Me tornei uma pessoa muito explosiva e propensa a pensamentos mórbidos, tristes, etc. Além disso, estou aos poucos me isolando de todas as pessoas, me tornando cada vez mais calado, taciturno e com medo das coisas. Sinto medo de coisas simples e, aparentemente, fáceis, como atender um telefonema.

Na empresa, quando o telefone toca meu coração já dispara, e aos poucos estou perdendo a capacidade até de trabalhar. Coisas que antes me davam prazer agora não consigo mais fazer, e em quase tudo prefiro "deixar pra lá" do que "enfrentar o problema".

Bom, este médico já havia me receitado Tegretol, Fluoxetina e Burpirona assim que comecei a me consultar com ele, e receitou ontem a Risperidona e o Neozine após eu mencionar coisas que me afligem muito, como por exemplo a mania que tenho de ver, rever e verificar novamente tudo o que faço, e também um tique nervoso.

Seja se o gás está fechado, seja se as portas estão fechadas, seja um simples e-mail para um cliente, tudo eu verifico "um milhão de vezes", antes de concretizar.

O tique nervoso que mencionei é um que, quando estou nervoso, sem querer, até, "bato os dentes", a arcada superior contra a inferior, provocando muitas vezes até dor nos dentes, ao final do dia.

Agora, verifiquei na internet que os dois medicamentos (Risperidona e Neozine) são anti-psicóticos, indicados em casos de doença mental, esquizofrenia, etc. Será que devo tomar estes remédios?

Depois que li os efeitos colaterais dos dois, principalmente os tais "movimentos involuntários" que provocam, ocasionalmente, fiquei apavorado, e como li que são anti-psicóticos, não sei se devo tomá-los.

Estou meio que desesperado, agora. O que vocês acham?

Obrigado a todos. :)
----------

Olá, querido!

Entendo um pouco o que você está passando. Já passei por situação um pouco parecida. Tinham diagnosticado transtorno bipolar em mim também. Eu também sinto que tenho muito mais baixos do que altos. Talvez tenhamos casos diferentes, mas vou lhe contar as experiências que tive. Também já tomei muitos remédios, nenhum deles muito efetivo. Risperidona no entanto me ajudou numa fase em que eu me encontrava em pânico. Meu pânico era diferente do seu. Eu me sentia mal quando saía de casa, me sentia mal quando ia em lugares cheios de gente, então comecei a faltar às aulas no colégio (na época eu estava fazendo Ensino Médio, eu tenho 19 anos). Ela me ajudou a "voltar a mim", a me sentir melhor. É claro que parte do tratamento eu fiz em consultório com psicoterapeuta, mas os remédios ajudaram sim. Também já tomei Fluoxetina, mas para mim não foi boa. Na primeira vez que tomei, tive algumas crises de euforia. Então baixou-se a dosagem, mas não foi boa pra mim, ainda ficava muito irritada. Resolveram mudar minha medicação para Venlafaxina, agora estou um pouco melhor.

Mas preste muita atenção. Eu tomei remédios por cerca de um ano e meio, não e bom tomar remédio por muito tempo, todos os antidepressivos acabam interferindo na libido (desejo sexual), se você tomar por anos seguidos pode ter efeitos irreversíveis, como impotência, anorgasmia (falta de orgasmo) e muitas outras coisas.

Eu sou bem desconfiada. Se eu fosse você, me consultaria, sem seu médico saber é claro, com outro médico psiquiatra. Acho que você está tomando uma quantidade exagerada de remédios e talvez nem todos estejam surtindo o efeito desejado.

E outra coisa: não vá tanto pela bula do remédio. Na bula, coloca-se várias coisas. Não é porque está escrito que o remédio serve para hispertensos, diabéticos, epiléticos e esquizofrênicos por exemplo que o médico tenha achado que você é alguma dessas coisas. As bulas assustam, mesmo. Mas é que os remédios se encaixam para o tratamento de muitas coisas, não quer dizer que você vai virar esquizofrênico ou é esquizofrênico ou etc. Relaxa, cara! OK? ;)

Espero ter ajudado. Se cuida.  (+ info)

Há cura para uma pessoa que apresentou os seguintes distúrbios psiquiátricos: F32.3, F43.1, F40.0 e F42.2?


Depressão grave com sintomas psicóticos;
Pânico;
Stress;
Distúrbio Obsessivo compusivo
----------

Há cura sim, desde que o paciente seja acompanhado por psiquiatras e psicólogos e plenamente esteja consciente do problema, fazendo a psicoterapia e tomando a medicação. Tenho uma cunhada que tem a depressão associada a sintomas psicóticos, pânico e estresse. Minha sobrinha tem o transtorno obsessivo-compulsivo. Ambas levam uma vida normal, mas a custa de tratamento.  (+ info)

depressao f25.1 qual a possibilidade de alta pelo inss?


Meu marido esta com depressao f25.1 cid10 em tratamento a pelo -
menos 15 meses ele trabalha como motorista proficional na area de-
transporte escolar e toma varios remedios de ante depressivos a ate-
anti psicoticos e tem sintomas esquizofrenicos e nao vejo nenhuma -
melhora ele corre o risco de ter alta mais uma coisa como e os sinto-
mas da esquizofrenia ele as vezes fala sozinho fala que e da c.i.a -
fica agressivo e fala que tem alguem o perssiguindo ele e ve vultos -
isto tudo e da depressao ou e loucura mesmo muitas vezes fica cabis-
baixo. quieto nao fala nada e nao come nao quer tomar banho e nem -
os remedios dele oque eu fasço.
----------

***Entre em contato com meu email,posso te orientá-la,eu se fosse você providenciava uma internação em uma boa clinica,alucinações não sintomas negativos.É possível que ele esteja usando as 'visões" como fuga?
Ele é funcionário do estado?Do município?
Talvez seja o caso de uma aposentadoria por invalidez,quando é decorrente de acidente em serviço,moléstia profissional ou doença grave,etc...
BASE LEGAL:
*LEI:10098/94,ARTIGOS 159 ITEM I,161
*LEI 110370/99
*CONTITUIÇÃO FEDERAL/88,ARTIGO 40...ALTERADO PELA EMENDA CONTITUCIONAL N20/98
Guarde todos os laudos,receituarios ,copias de internações,tudo isto é util no caso de aposentadoria por invalidez,mesmo que não seja permanente...
****um grande e afetuoso abraço****  (+ info)

então,a pessoa pode ser acometida por grandes variações de humor mais nao psicoticos ou fora da realidade?bipo?


aqui me refiro quando as alterações patologicas prejudicam a vida da pessoa,alteraçoes de humor /depressão/irritabilidade/agressividade/compulsividade/insonia ou escesso de sono/choro/desafeto...
----------

Todas as pessoas têm variação de humor. É normal do ser humano. O transtorno bipolar ocorre quando atrapalha a vida da pessoa, impedindo que viva sua vida de forma a ter um mínimo de bem-estar: a pessoa tem depressão ou acelerações desastrosas que atrapalham todos os seus relacionamentos sociais, íntimos e profissionais.  (+ info)

Não entendo os médicos peritos do INSS. O quê você acha disto?


Tenho um amigo com "depressão recorrente grave com sintomas psicóticos", "fobia não especificada", "torcicolo espasmódico = distonia cervical" e "doença alcoólica do fígado". Incrivelmente, apesar do estado da criatura, o perito na última perícia deu 45 dias. Sendo que consultei nas "diretrizes médico periciais do INSS" e ele deveria ter dado até 6 meses ou indefinido. Ele está a um ano nesta questão e a cada vez que tem perícia, enlouquece de "pavor", sabendo que não pode trabalhar. Nos deêm alguma informação por favor, pois ele tem medo até de não passar na próxima perícia.
Obrigado.
----------

Meu querido: eu passei por isso durante 3 anos. O grande problema é que os peritos não são psiquiatras e daí, não consideram depressão como doença. Diga a seu amigo pra insistir, eu sei que é uma agonia passar pelas mãos de leigos, que muitas vezes não passam de clínicos gerais. Mas a gente tem que insistir. No meu caso, chegaram a me liberar para o trabalho. Eu voltei, mas duas semanas depois, voltei ao médico que me deu o laudo da doença....na perícia, sem laudo não se consegue nada. Só assim resolvi meu problema.  (+ info)

Estou errada em não querer filhos?


Tenho 28 anos, me caso este ano, mas deixei claro ao meu noivo que não quero ter filhos. O motivo é que meu pai foi ausente, deixou minha mãe, e isso me fez muito mal, devido tantos e outros problemas desenvolvi a três anos transtorno bipolar cm sintomas psicóticos, um tipo bem grave da doença, fui internada, tentei suicídido, alucinações, surtos psicóticos, o fato de tudo que temo um dia engravidar, por mais que hoje eu esteja bem, pk meu noivo mora noutro país e ficarei longe da minha família, e não me sinto boa o suficiente pra ter filhos, devido a possível depressão pós parto, além de que penso que se um dia meu casamento não der certo, eu me separe e tenha que criar filho sozinha assim como minha mãe fez. Eu estou sendo egoísta em pensar assim ou estou certa em não por uma pessoa no mundo que possa vir sofrer como eu? Ele quer ter filho ao menos um, mas não se chateia caso eu não queira, além de que devido a doença fiquei três anos afastada do trabalho, e interrompi curso superior e agora quero começar tudo de novo, mas cm filho não da, não quero essa responsabilidade. Mas sei que serei julgada pela família dele, O que vcs acham? respostas sérias por favor, boa noite a todos...
----------

Vc está certissima em querer não ter filhos num tempo desses ( filhos rebeldes, não ajudam os pais, gostam dessa onde de "ficar"...)...
Olha eu tenho a mesma opinião q a sua..
posso chegar a me casar , mais tbm vou deixar claro q filhos eu não vou querer ter...
Olha a Escolha é sua Minha Amiga, se vc achar q deve faça se não melhor não fazer...

A minha opinião é: não tenha filhos AGORA nesses tempos, pense um pouco, continue com seus estudos, faça a sua vida, e antes q seja "tarde demais" decida...

Espero q eu tenha te ajudado<3  (+ info)

Surtos psicoticos direto?


Alguem poderia me ajudar? Pessoal eu tenho 25 anos, e as vezes do nada me da uns surtos, eu pareço uma louca do nada, ja procurei psiquiatra,psicologo,tudo mais eu nõ consigo me segura, eu me irrito a toa, até meu esposo ja esta ficando impaciente comigo, me ajudem eu demorei par pedeir ajuda por aqui, mais agora esta cada vez mais dificil, eu só falto bater em quem esta na minha frente, o pior? É que depois que eu caio na real? Eu choro dimais, tenho vontade de morrer! ME AJUDEM POR FAVOR!
----------

como são esses surtos?
escuta vozes? vê coisas? sente-se perseguida?
o que vc chama de surtos?
as demais características são sugestivas de um transtorno de personalidade borderline, porém, somente um psiquiatra habilidoso para diagnosticá-la e medicá-la adequadamente, o que vc precisa por agora.  (+ info)

PROPANOLOL psiqui usam esta medicação para dist. de agitação e irritação.?


Este fármaco é adminstrado p/ o coração.

Mais tem um paciente com trant. psicóticos q esta em uso dele.receitado pelo psiq.

Oq vcs acham,?
----------

Tem seu motivos;

PROPRANOLOL

Ações terapêuticas.

Anti-hipertensivo, antianginoso, antiarrítmico, profilático do infarto de
miocárdio.
Propriedades.

O propranolol é um bloqueador beta-adrenérgico; bloqueia o efeito agonista
dos neurotransmissores simpáticos sobre os receptores b 1 e b 2,
competindo pelos lugares de união ao receptor. Possui também uma moderada
atividade estabilizante de membrana (quinidínica). Seu mecanismo de ação é
desconhecido como profilático da cefaléia de etiologia vascular e para o
tratamento do tremor. Absorve-se por via oral em 90%, sua união às proteínas
plasmáticas é muito alta (93%); metaboliza-se no fígado e menos de 1% é
excretado pelo rim de forma inalterada. Sua meia-vida é de 3 a 5 horas e o tempo
até alcançar seu efeito máximo é de 1 a 1½ hora. Não é eliminado por diálise.
Excreta-se no leite materno em quantidades pequenas.
Indicações.

Tratamento da hipertensão, tratamento da angina pectoris crônica,
profilaxia e tratamento de arritmias cardíacas, tratamento da estenose
subaórtica hipertrófica, profilaxia de reinfarto de miocárdio, coadjuvante do
tratamento da feocromocitoma, profilaxia da dor de cabeça de origem vascular,
tratamento dos tremores.
Posologia.

Dose usual para adultos – como antihipertensivo: 40mg, por via oral, 2 vezes
ao dia, com aumentos graduais até um total de 640mg ao dia se for necessário.
Como antianginoso: 10 a 20mg por via oral, 3 ou 4 vezes ao dia, com aumentos
graduais até um total de 320mg ao dia. Como antiarrítmico: 10 a 30mg por via
oral, 3 a 4 vezes ao dia. Como coadjuvante do tratamento da estenose subaórtica
hipertrófica: 20 a 40mg por via oral, 3 a 4 vezes ao dia. Como profilático do
reinfarto de miocárdio: 180 a 240mg por dia, via oral, em várias ingestões. Como
coadjuvante do tratamento do feocromocitoma: 20 a 40mg por via oral, 3 a 4 vezes
ao dia, durante 3 dias antes da cirurgia e simultaneamente com ação bloqueadora
alfa-adrenérgica. Como profilaxia da cefaléia vascular: 20mg por via oral, 4
vezes ao dia, até um total de 240mg diários se for necessário. Dose usual
pediátrica: inicial de 0,5mg a 1mg/kg/dia, por via oral, divididos em 2 a 4
ingestões; dose de manutenção: 2 a 4mg/kg/dia por via oral, divididos em 2
ingestões.
Reações adversas.

As mais freqüentes são: depressão mental (habitualmente reversível e leve),
bradicardia menor de 50 batimentos por minuto, diminuição da capacidade sexual,
diarréia e tonturas. Em alguns casos podem aparecer frieza nas mãos e pés por
circulação periférica diminuída, confusão (especialmente em idosos),
alucinações, erupção cutânea, ansiedade ou nervosismo, constipação.
Precauções.

Deve ser utilizado com cuidado no caso de alergia, na presença de
insuficiência cardíaca congestiva, doença arterial coronária, diabetes mellitus
(favorece a hipoglicemia e altera a circulação periférica), disfunção hepática,
depressão mental (pode exacerbá-la) e psoríase (pode ser exacerbada). A
suspensão brusca do propranolol pode intensificar os sintomas do
hipertireoidismo.
Interações.

O uso simultâneo com halotano pode aumentar o risco de depressão miocárdica e
hipotensão; a administração conjunta de hipoglicemiantes orais ou insulina pode
aumentar o risco de hipoglicemia ou hiperglicemia; os analgésicos
antiinflamatórios não esteróides podem reduzir os efeitos anti-hipertensivos do
propranolol; o uso simultâneo com cimetidina aumenta o efeito betabloqueador
pelo aumento da concentração sangüínea, resultante da inibição das enzimas
hepáticas; o uso concomitante com aminas simpaticomiméticas que tenham atividade
estimulante beta-adrenérgica pode originar uma mútua inibição dos efeitos
terapêuticos; algo similar pode ocorrer se forem administradas xantinas
simultaneamente com propranolol.
Contra-indicações.

Asma brônquica, insuficiência cardíaca manifesta, choque cardiogênico,
bloqueio átrio-ventricular de segundo ou terceiro graus e bradicardia sinusal
(menos de 45 batimentos por minuto). Quando for utilizado em enfarte de
miocárdio, é contra-indicado se a pressão sistólica for menor de 100mmHg.


P.R. Vade-mécum Brasil 2008-09
P.R. Vade-mécum.  (+ info)

Breve farei parte do grupo dos suicidas. Minha psicose ta me matando.?


Eu me trato de transtorno bipolar cm sintomas psicoticos ha tres anos, as crises estao voltando, eu nao vou conseguir controlar mais a situação e justo agora que me aparecem mil problemas que nao consigo superar, embora muitos dizem pra superar, eu nao consigo, os tratamentos foram em vao as medicações nao surtem efeito, psicoterapia menos ainda, Deus entao nem se fala, este nao escuta ninguem, e se eu escutasse estaria tendo alucinações. Então meus amigos, deixo meus abraços a todos, pk breve serei menos uma neste mundo cruel. Digam o que quiser, mas palavra nenhuma me fara desistir, eu ja tenho o que preciso p ir ate o fim, e eu vou. beijos a todos vcs.
Deixando claro eu tenho leucemia tambem e ainda cancer de mama cm 28 anos, ta pouco ou quer mais? Se eu vou morrer mesmo, p que esperar mais.
----------

Se vc tem bipolar com sintomas psicoticos pode ter esquizofrenia junto, procure um bom psiquiatra!

Acredite que algum dia tudo vai mudar e você vai ser muito feliz, procure também ajuda espiritual. (deus) ...  (+ info)

1  2  3  4  5  

Deixa uma mensagem sobre 'transtornos psicóticos afetivos'


Não avalia ou garante a precisão de qualquer conteúdo deste site. Clique aqui para ler o termo de responsabilidade.